sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Rádios: irradiando lixo cultural.

Achei que eu estava ficando alienado. Mas não estava não. Por três dia eu fiquei ouvindo rádio, coisa que não fazia a uns 7 anos, pois a programação vinha caindo muito em qualidade. Porém, resolvi retomar a audição das rádios para ver se havia melhorado. Ouvi diversas rádios, diversos tipos de programação por cinco dias durante a semana. Cara, que lixo! Rádios que tocavam uma música e davam 15/20 minutos de piadas de mau gosto, comentários bestas a respeito de assuntos inúteis. Músicas repetitivas ou com letras de teor cultural duvidoso, músicas cortadas por vinhetas o tempo todo... Radialistas sem referências culturais dando suas opiniões (que ninguém pediu) a respeito de assuntos sérios, e até mesmo direcionando de modo tendencioso a opinião alheia... Numa das rádios foi a gota d’água: a locutora, com uma voz risonha, feliz e histérica, lançou a seguinte enquete: “ Se você está numa festa com sua melhor amiga e ela está com um shortinho muito curto e resolve bater uma selfie de vocês duas, você deixaria ela postar essa foto na rede social?” Gente, que tipo de sociedade, locutor, programador, produtor de rádio, indivíduo provido de cérebro  permite que uma pergunta fútil, idiota, burra e imbecil dessas seja veiculada para milhões de pessoas ouvirem numa cidade? Rádio e TV, dois instrumentos que poderiam fazer uma diferença crucial e importante na educação de uma Nação que de tudo carece; veículos de comunicação que poderiam estar ensinando línguas, história, cultura geral (a exemplo do canal History da TV fechada) estão deixando as pessoas, especialmente os jovens, cada vez mais sem referências culturais e sem a possibilidade de pensamento crítico. E, segundo amigos de outros países da América Latina, este fenômeno está se repedindo em outros países. Depois, quando algumas pessoas aparecem dizendo que há um programa oculto dos EUA para destruir as culturas de terceiro mundo, deixando-as vulneráreis para serem dominadas, as pessoas gritam que isto é teoria de conspiração, que não existe, etc... Mas, sinceramente, parece que a coisa, no mínimo, tem algum fundo de verdade. E eu que pensava que estava alienado, cheguei à conclusão que vou continuar com meu pendrive de 8GB buscando músicas de qualidade, novidades culturais na web mesmo, nos movimentos alternativos e de contracultura, pois eles continuam sendo uma saída para esse sistema que só visa emburrecer e manter as pessoas alienadas e escravas.