quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Função do Símbolo

Em última análise, os símbolos são representações da psique; são projeções de todos os aspectos da natureza humana. Além de expressar a sabedoria humana racial e individualmente adquirida e armazenada, podem representar também os níveis de desenvolvimento, os quais são predestinações da futura condição do indivíduo. O destino do homem e a evolução futura de sua psique estão estabelecidos nos símbolos. No entanto, o homem não tem uma ciência direta do conhecimento contido num símbolo; é preciso que decifre o símbolo usando o método do desenvolvimento para lhe descobrir a importante mensagem.


Fonte: Introdução à Psicologia Junguiana - Calvin Hall, Vermon Nordby.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Loucos de cara

Os homens não são tão necessariamente loucos que não ser louco seria uma outra forma de loucura. Necessariamente porque o dualismo existencial torna sua situação impossível, um dilema torturante. Louco porque tudo o que o homem faz em seu mundo simbólico é procurar negar e superar sua sorte grotesca. Literalmente entrega-se a um esquecimento cego através de jogos sociais, truques psicológicos, preocupações pessoais tão distantes da realidade de sua condição que são formas de loucura - loucura assumida, loucura compartilhada, loucura disfarçada e dignificada, mas de qualquer maneira loucura.

Ernest Becker, A negação da morte.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Contardo Calligares

Enfim, se sua vida sexual for um pouco colorida e você esbarrar numa instituição que condene seu desejo, não hesite, passe longe, siga em frente e procure outra instituição. Lembre-se de duas coisas. Primeiro, um psicoterapeuta (e ainda mais um psicanalista) que define uma conduta como "desvio" não fala em nome da psicoterapia e ainda menos em nome da psicanálise. Ele fala quer seja em nome de seu anseio de normalidade social, quer seja em nome de seu esforço para reprimir nele mesmo o desejo que parece condenar. Segundo, e mais geral, quem estigmatiza categorias universais, como "homossexuais", "os sadomasoquistas", "os exibicionistas", etc., é um atacadista, enquanto a psicanálise trabalha no varejo: a fantasia e o desejo só encontram seu sentido nas vidas singulares.

Cartas a um jovem terapeuta - Contardo Casligares

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

domingo, 5 de outubro de 2014

Dica de livro

Sombra Coletiva:

"A psique não está restrita aos indivíduos, ela também tem uma natureza coletiva. A psique coletiva forma o "Zeitgeist", ou espirito de uma época. Um exemplo de sombra da psique coletiva é o nazismo. Mas ela também pode ser vista em qualquer movimento de massa, tendências ou agrupamento. Uma multidão num jogo de futebol forma um ego coletivo que projeta uma sombra, como o hooliganismo descontrolado."

Tirei este trecho desse livro maravilhoso que meu amigo Giovani Piano me presenteou. Terminei de ler hoje e recomendo, todo ilustrado, feito istória em quadrinho, trás muita informação sobre a vida de Jung e toda sua estrutura da personalidade e como ela a entendia. Recomendo altamente.