quinta-feira, 27 de março de 2014

História da Psicologia

A Psicologia, como área da Ciência, vem se desenvolvendo na história desde 1875, quando Wilhelm Wundt (1832-1926) criou o primeiro Laboratório de Experimentos em Psicofisiologia, em Leipzig, na Alemanha. Esse marco histórico significou o desligamento das ideias psicológicas de idéias abstratas e espiritualistas, que defendiam a existência de uma alma nos homens, a qual seria a sede da vida psíquica. A partir daí, a história da Psicologia é de fortalecimento de seu vínculo com os princípios e métodos científicos. A idéia de um homem autônomo, capaz de se responsabilizar pelo seu próprio desenvolvimento e pela sua vida, também vai se fortalecendo a partir desse momento.

quarta-feira, 26 de março de 2014

Este Sou Eu - O homem de peixes.

Não há necessidade de saberem o que eu sinto e faço, um pouco de mistério é essencial. Não posso contar que a loucura paira acima da minha cabeça como flores estaladas. Não entenderiam que há sempre uma vida meio sorridente, meio sonolenta sob a minha pele. Como explicar? Impossível. Como contar que milhões de estrelas são eletrocultadas a cada segundo em meu quarto? Como dizer que a minha alma se projeta em feixes de raios límpidos para além da porta da casa? Assim, como quem não quer nada, faço mistério da película que há sob meus olhos. Estremeceriam se revelasse o que realmente se passa em meu corpo. Desde o princípio, sempre soube que devia guardar segredo. São ondas e ondas de amor quente, em tubos flamejantes. Um fogo inexprimível e inextinguível.

Assim eu sigo, entre uma ilusão e um prodígio. Os amigos me pedem: explique suas canções, saia da sombra. Mas não posso revelar meus segredos. Procuro disfarçar em gestos transfigurados o amor e a loucura que me seguem desde a antiguidade. É por isso que eu canto. Disfarço com minha voz, que são como para-raios dessa tempestade abismada. Ninguém percebe o fogo cruzado ao se aproximar de mim. Podem até perceber algo, um vago pressentimento, uma veia dilatada ou uma sensação atrasada. Cerro minhas mãos, pois meus dedos estão armados pelo fogo e a qualquer momento poderia contaminar a seriedade de alguém.

(texto de Marcelo Dalla)

segunda-feira, 24 de março de 2014

sábado, 22 de março de 2014

sexta-feira, 21 de março de 2014

Mabon

Feliz Equinócio de Outono, onde a Morte e a Descida ao Mundo Subterrâneo traz a renovação da vida. Em Mabon, o equinócio de outono, dia e noite tornam-se iguais. À medida que as sombras aumentam, os Pagãos vêem as faces mais sombrias de Deus e Deusa. Para muitos, esse rito honra a velhice e a aproximação do inverno.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Transformação Psicológica


Saint Germain - Março 2014

Por que vocês simplesmente não estalam os dedos e ficam iluminados?

Primeiro, por compaixão – compaixão pelo seu corpo –, porque o corpo, quando estava com o velho DNA ancestral, não podia lidar assim tão rapidamente com a transição, a transformação. Não conseguiria lidar rápido assim com a mudança, que teria provocado um desequilíbrio energético que poderia ter levado a coisas como – e falando bem especificamente –, coisas como diabetes. Se o corpo tenta mudar rápido demais, as entradas e trocas de energia causariam diabetes. Segundo, câncer. Repito, enviaria sinais dispersos pelo corpo e causaria câncer em determinadas partes do corpo.

Então, vocês trazem um novo nível de energia de luz, quando fazem a troca da biologia ancestral para o verdadeiro corpo de luz de vocês. E isso acontece na maioria das vezes enquanto estão dormindo, mas às vezes em seu estado de vigília. Às vezes, vocês sentem o inferno no corpo, mas não é. Ele está se reorientando. Está mudando.

Peço que convoquem essas mudanças, permitam essas mudanças e parem de perguntar o tempo todo: “O que está acontecendo com o meu corpo? Por que estou dormindo tanto, tantas horas? Por que não consigo dormir? Por que não tenho o nível de energia que costumava ter?” Isso é, na verdade, uma coisa boa, não terem esse nível de energia, porque vocês ainda tentam obter energia de velhas fontes. Vocês passam um por um período, uma fase, em que se desconectam das velhas fontes de combustível, digamos assim, da velha usina de combustão de carvão, e estão agora se conectando a uma nova fonte de energia eficaz e limpa.

Então, há essa troca, e algumas vezes vocês vão sentir dores extras no corpo e achar que estão ficando velhos, e não é isso. É essa troca intensiva.

Curso Tarôt


terça-feira, 4 de março de 2014

Significado Símbolo Psicologia

A letra "Psi" O símbolo adotado pela Psicologia corresponde a vigésima terceira letra do alfabeto grego, cujo significado é PSI. A este prefixo “PSI” adicionou-se o sufixo “QUE” formando a palavra “PSIQUE”, que em outras palavras significa: estudo da alma. Inicialmente a Psicologia surgiu voltada para o estudo da alma, mas com a influência do positivismo no contexto mundial, a Psicologia só poderia ser considerada ciência natural, caso possuísse um objeto de estudo que não fosse metafísico (imperceptível aos sentidos humanos) e que estivesse contido nas dimensões temporais e espaciais. Assim, a “alma” não poderia mais ser o objeto de estudo da Psicologia que aspirava tornar-se ciência. A “alma” não podia ser observada e nem mensurada portanto, não atendia aos requisitos científicos estabelecidos pela corrente positivista. O Behaviorismo Metodológico, veio para resolver este impasse e finalmente elevar a Psicologia ao status de ciência. Watson propôs que o objeto de estudo da Psicologia não deveria ser a alma, mas sim todo comportamento observável. 

Hoje, o símbolo “PSI” representa o tripé que sustenta a ciência do comportamento em suas três vertentes: A corrente comportamentalista, a corrente psicanalítica e a corrente humanista. 
Estudar psicologia sem entender o significado profundo do seu símbolo representativo significa perder um elemento essencial para sua compreensão. Inicialmente, é importante lembrar que além de ser o símbolo, é também uma das letras do alfabeto grego, correspondente ao fonema "psi" e ao número 17. Embora este seja o começo da explicação sobre seu significado, não podemos esquecer que a letra "psi" tem toda uma historia e está associada a realidades muitos profundas, expressadas através da mitologia. 

A letra "psi" é o principal símbolo representativo de Deus Possêidon (ou Netuno em Latin). Possêidon significa "senhor das águas", é o Deus das águas, mas principalmente, das águas subterrâneas e submarinas. De acordo com a Mitologia, após a vitoria dos Deuses sobre os Titãs, o universo, foi dividido em três reinos, um para cada irmão: Possêidon obteve o domínio do mar. Zeus, a maior autoridade do Olimpo, ganhou domínio sobre o céu e a terra e Hades sobre os infernos e o mundo subterrâneo e vulcânico. Possêidon nem sempre foi muito dócil à superioridade e autoridade de seu irmão Zeus. Possêidon percorria as ondas sobre uma carruagem tirada por seres monstruosos, meio cavalo meio serpente ou por cavalos. Seu cortejo era formado por peixes e delfins e criaturas marinhas de todas as espécies. Eram jogados touros vivos no mar como sacrifício a Deus. Possêidon Reina em seu império líquido, a maneira de um "Zeus marinho", tendo por cetro e arma o tridente , que dizem ser tão terrível quanto o raio. Uma concepção mais antiga de Possêidon é o de "sacudidor da terra", o que corresponde a uma ação de baixo para cima, isto é, uma atividade exercida do seio da terra por uma divindade subterrânea. Quando a terra treme devido á força de Possêidon, tudo que está apoiado sobre a terra é destruído. O tridente era usado por Possêidon como arma de guerra: quando ele o enfiava no coração do seu adversário ganhava poder sobre sua alma. Para demonstrar sua força, Possêidon golpeava a terra com seu tridente e fazia brotar um mar, ou, segundo outras versões, um cavalo. Em sua cólera, Possêidon usava seu tridente para inundar ou secar terras.As três pontas do Tridente representam as três pulsões: Sexualidade, Autoconservação e Espiritualidade (Auto-realização) e, fonte de todos os desejos facilmente exaltados e da natureza imanente. A Sexualidade e a Autoconservação são forças indispensáveis para a vida, mas que também representam o perigo da perversão e a fraqueza essencial que pode possuir o homem. Sobre o conceito de espiritualidade como pulsão, Leonardo Boff em seu livro "A Águia e a Galinha" menciona textualmente o seguinte: "A vida espiritual possui em nós o estatuto de uma energia originária. De um instinto com a mesma cidadania que o instinto sexual, o instinto de saber, o instinto de poder, o instinto de violar os tabus e o instinto de transcender". Note, não se trata de um instinto qualquer, entre tantos, mas de um instinto fundamental, articulador de todos os demais. A Pulsão da Espiritualidade também pode ser comparada ao "Impulso para a auto-realização" defendido por Carl Rogers e os existencialistas e também a "necessidade de evolução" defendida por algumas teorias religiosas. Ainda de acordo com conceito das 3 pontas do Tridente, da tríade de forças, como não lembrar da divisão Freudiana do sistema psíquico em: Inconsciente, Pré-consciente e Consciente (1ª tópica - Até 1914) e em: Ego, Id e Superego (2ª Tópica - Após 1914).

A partir disso, podemos concluir que o símbolo da psicologia é essencialmente o símbolo das forças do mundo inconsciente, que podem levar-nos à loucura e a morte ou até os estados mais perfeitos do equilíbrio psíquico.

sábado, 1 de março de 2014

Saint Germain - Fevereiro 2014 - Canalização.

"Assim, eu peço que não coloquem nenhuma causa à frente de si. Nenhuma causa para salvar o mundo. E vocês vão ficar tentados, especialmente neste ano ou no próximo. Vocês vão ficar tentados de ir lá fazer alguma coisa, realizar projetos, qualquer coisa. Por quê? Porque ocupa a mente. Faz com que vocês se sintam bem consigo mesmos. Vocês ficam achando que estão fazendo a coisa certa quando ajudam os outros. Vocês largaram esse papel quando deixaram de ser detentores da energia para o planeta, quando começar verdadeiramente a despertar. E agora trata-se de vocês. Vocês são a causa pra si mesmos.

Soa um pouco duro. Alguns diriam egoísta. Mas é a maior dádiva de amor de todas. A maior.

Nenhuma causa está à frente de vocês. Não coloquem grupos, organizações, nem mesmo sua família, seus filhos, o serviço comunitário nem nada disso, não coloquem à frente de si. Não os considerem mais importantes, porque a melhor coisa que podem fazer por si mesmos é a integração consciente da sua divindade nesta existência. É a coisa mais importante. É a razão pela qual vocês vieram a este planeta.

Vocês não vieram a este planeta pra salvar as baleias e os golfinhos. Como eu disse, outros farão isso. Outros estão no ponto em que vocês estavam um tempo atrás. Eles querem vivenciar o que é estar em serviço. Vocês estão realmente além desse tipo de serviço.

Haverá momentos em que vocês vão se sentir compelidos a gastar uma extraordinária quantidade de tempo com, digamos, um programa social, um programa comunitário ou um programa de auxílio a vítimas de desastres. O que estou pedindo é que não coloquem essas causas à frente de vocês. Não estou dizendo pra não participarem delas, mas não as coloquem à frente de vocês.

É muito importante pra vocês agora perceberem que vocês são a causa. Vocês são a razão, e vai parecer muito, muito egoísmo – muito egoísmo às vezes – dar tanto pra si mesmos. Mas é isso que tem faltado. Vocês são a causa. Estão ouvindo isso? É.

É fácil se distrair com algo que vem de fora de vocês, com as pessoas, com outros programas. Ah, é muito fácil, e já vi muitos aspirantes a Mestres fazendo isso. Eles realmente acreditam – passam a acreditar por dizerem a si mesmos – que fazer todos esses trabalhos pros outros vai levá-los de alguma forma à ascensão ou à iluminação. Não. Um verdadeiro Mestre tem a iluminação quando se coloca acima de tudo.

Não parece estranho? Estranho, porque, por muito tempo, particularmente na Igreja Católica, mas também em outras religiões, sempre disseram: “Coloquem Deus em primeiro lugar, coloquem a família, a comunidade e tudo mais...” Mas não havia o “eu” na equação. Era tudo, menos eu.

E fico particularmente aborrecido quando Deus é colocado em primeiro lugar e ainda por cima é masculino, poderoso, mental – tudo que Deus, que o Espírito, verdadeiramente não é. Não coloquem outra causa à frente de vocês.

E, repito, vocês vão ficar tentados, ah, muito, muito tentados a fazerem isso. Não é pra não cuidarem dos filhos. Mas cuidem deles como Mestres, não como pais. Eles realmente não são seus filhos, assim como vocês não eram filhos de seus pais. Bem, talvez biologicamente, sim, mas eles não possuíam vocês. Só achavam que sim. "