terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Saint Germain - Canalização (trechos)

Eu vou a alguns funerais de vez em quando só pra rir. As coisas andam meio devagar com os Mestres Ascensos. E eu vou lá, e é tão interessante, porque, nos funerais, é como se houvesse uma noção, meio que uma fachada de tristeza, e de vez em quando realmente é assim. Mas venham comigo um dia... Vamos fazer umas análises ao funeral de alguém. Mas venham comigo um dia. As pessoas ficam pensando no que vão jantar. Ficam pensando nas férias. Pensando em sexo. Pensando... É, quando estão num funeral. Pensam em todas essas coisas. E sentem muita culpa. Muita culpa. Elas não pensam: “Ei, como será que ele está? Como será que ele está se saindo do outro lado?” Elas têm medo de saber que ele está sentado bem do lado delas, e que ele não está nem um pouco satisfeito.
Vocês não se importam com nada. Ponto final. Talvez essa seja uma pequena pista secreta no nosso jogo de fofocas. Vocês não se importam com nada.
Agora, a maioria das pessoas diria: “Bem, parece horrível. Isso parece tedioso. É pra gente se importar com as coisas.” Sério? Digo, imaginem um instante se o poder deixasse a vida de vocês, se vocês parassem de jogar o jogo do poder. O poder está em todo lugar. Está na política. Está no dinheiro, nos negócios, nos seus relacionamentos com as pessoas, em todo lugar. Todo mundo brinca com o poder. O poder surgiu porque havia uma crença de que a quantidade de energia era limitada e vocês tinham que roubá-la dos outros, uma vez que vocês, certamente, não iriam se incomodar em buscar dentro de si a energia, a consciência ou as respostas. Assim começou todo o jogo do poder, que nunca acabou realmente. Mas é tudo uma ilusão. O poder é uma ilusão absoluta, porque tudo está dentro de si, e isso que está dentro atrai toda a energia que vocês possam precisar sem ter que roubá-la de ninguém. Mas todos vivem nessa ilusão do poder. Vivem na ilusão de que precisam fazer alguma coisa e têm que se importar com alguma coisa.
E essa coisa toda de abundância. Uma das coisas mais tristes é que vocês têm um desejo enorme de ter abundância, um desejo enorme de ter dinheiro no bolso. Por que não têm? Dois motivos: primeiro, ainda existe... Primeiro, porque muitos de vocês ainda não têm certeza se querem ficar aqui neste planeta. Vocês ainda não têm certeza se querem viver. Vocês ainda estão esperando por alguém ou que alguém diga: “Eis a resposta. É por isso que você deve viver.” Mas, fora isso, há muita dúvida. E é interessante, ao mesmo tempo em que temos conversas grandiosas sobre Mestres Encarnados, com frequência vocês dizem: “Não sei se realmente quero ficar aqui.” Bem, então, vocês não vão ser abundantes. Ponto final. Porque o básico da energia, a física, é que vocês não vão atrair energia.
Há também uma outra dinâmica interessante ocorrendo, apesar dos grandes sentimentos e pensamentos do tipo: “Estamos em nosso caminho para a iluminação.” Ou também: “Se eu tiver dinheiro, vou fazer as mesmas merdas que fazia antes. Se eu tiver dinheiro, vou ter mais problema do que eu tinha antes.” Então, o que vocês fazem é manter uma dieta financeira, porque vocês acham que, no passado, quando tinham dinheiro, vocês o usavam em nome do poder e da manipulação. Vocês usavam drogas. Vocês ficavam bêbados. Vocês abusavam de si mesmos e dos outros com ele. Então, algo dentro de vocês entrou nessa dieta da não abundância. E vocês se sentem mais confor... As pessoas se sentem mais confortáveis à míngua do que sendo abundantes. É um fato simples, porque qualquer um – aham – qualquer um poderia ter dinheiro neste exato momento. Mas vocês têm medo: “Se eu tivesse dinheiro, eu voltaria a ser o humano ruim de antes.”
2014 vai ser um ano interessante para o mundo, para este planeta. Vou chamá-lo de ano da resistência ao amor para o planeta. Resistência ao amor. E agora não estou falando dos Shaumbra, de vocês, porque vocês serão capazes de ficar só como observadores. Vocês serão capazes de se manter afastados. Serão capazes de realmente se identificar com aquilo pelo qual o planeta, os humanos estarão passando, porque vocês já conhecem isso – vocês passaram por isso. Vocês já viram a loucura, o conflito, a dissonância, a luta. Vocês já viram a insensatez de tudo isso.
Vocês serão capazes de se manter afastados e, com algumas respirações profundas, serão capazes de dizer: “Ah, eles estão passando pela experiência deles.”
Vai ser um ano maluco para os sistemas, os países e realmente para qualquer tipo de estrutura ou método, qualquer coisa que seja rígida. Vai ser um ano de resistência ao amor. Terá seus altos e baixos. Eu diria que será, energeticamente, um ano mais difícil do que a maioria dos outros anos, porque há mais energia agora do que nunca. E, como a consciência de vocês está se elevando e trazendo mais energia para o planeta, isso está causando mais percepção de divergência e mais conflitos e lutas. Vocês verão as pessoas e as instituições determinarem: “Nunca desistirei.Nunca deixarei ninguém pegar minha terra, ou meu país, nem mudar meu ponto de vista.” Então, vocês vão ver muita obstinação e determinação. E verão coisas bizarras e malucas saírem da mente. Vocês vão ver isso cada vez mais a cada dia.
Vou deixar uma pequena nota aqui. Como existem por aí mais desses medicamentos para a mente, vocês vão ver coisas cada vez mais loucas acontecendo, porque vocês podem tampar o esgoto aqui, mas ele vai explodir lá adiante. E não vai ser bonito quando explodir. Então, vocês verão cada vez mais esse desequilíbrio. Vocês não têm que acolher isso, ou, se acolherem, percebam que é só um jogo do qual podem sair a qualquer hora. Mas será um ano desmedido, uma corrida desenfreada.
Não é pra entrarem em pânico; na verdade, é pra rirem. Não é pra se retirarem; é pra trazerem mais energia pra si. Não significa que vocês ficarão sem dinheiro; na verdade, pode ser um ano de grande abundância pra vocês. Há mais energia do que nunca.
Com isso, lembrem-se também que, apesar de como as coisas possam parecer, tudo está bem em toda a criação.