quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

sábado, 22 de dezembro de 2012

Vivenciando a Ascenção


Nós acabamos de chegar em casa de nossa última viagem do ano ao exterior. Depois de viajarmos mais de 100 milhas (160.000 km) este ano, Manly Beach, Austrália foi um local ideal para o último evento de 2012 fora dos EUA O clima na área de Sydney estava quente, e a praia foi um alívio bem-vindo para os nossos corpos sob o efeito do ¹Jet-lag. Nós alugamos um apartamento fantástico com vista para o mar e ouvimos o som do surf dia e noite.

O evento em Sydney foi intitulado Vivenciando a Ascensão. Nós já tínhamos feito o workshop uma vez no início do ano em Sedona, Arizona. É uma classe única porque ele lida com a vida como seres iluminados, na Nova Energia. Adamus fala tanto sobre a facilidade, bem como sobre os desafios de viver simultaneamente nos velhos e novos mundos de energia. O curso de Adamus Vivenciando a Ascensão é bem-humorado, perspicaz, agravante, desafiador, e uma mudança de consciência. Ele traz à tona tanto varias questões quanto respostas, mas o valor real é que ele nos coloca a contemplar uma nova maneira de viver.

Como Shaumbra, nós estamos agora falando sobre "como", em vez de "quando". Chegou a hora .... Não há mais espera. Eu acho que esse é o maior problema que enfrentamos agora mesmo. Estamos vivendo, tanto nos mundos da Velha consciência de massa e da nova energia. Nós não acordarmos em uma manhã e de repente nos encontramos nos Novos Tempos. Nós estamos nos facilitando dentro dele, passo a passo, dia a dia. Agora nós estamos em parte dentro dela, e em parte, ainda na tradicional consciência.

Vivenciando a Ascensão é um título apropriado para o workshop, se não um pouco irônico. É a antítese da Ascensão em Morte, ou a forma como os Mestres Ascensos usavam para fazê-la. Eles costumam deixar o corpo físico no momento da iluminação porque era muito difícil ficar. Os novos Mestres estão optando por viver uma vida iluminada enquanto permanecem encarnados.

De acordo com Saint Germain, um dos atributos mais notáveis de se viver iluminado é que há uma graça e facilidade natural. A luta de sobrevivência é substituída pela facilidade de tudo o que vem a você, naturalmente, no momento do Agora, sem ter que pensar sobre isso, desejar por isso ou se estressar a esse respeito. Isto inclui abundância, novas oportunidades, relacionamentos e insights pessoais. Já não mais se preocupar com o que o futuro trará, porque há um conhecimento de que tudo vai estar lá. Você pode imaginar o quanto de energia e esforço mental é liberado porque não há nenhuma preocupação sobre o futuro?

E, de acordo com Saint Germain, um dos maiores desafios de uma vida iluminada é se sentir desconectado das outras pessoas e da consciência de massa. É mais difícil estar no meio do drama humano, do pensamento limitado e da falta de soberania. Os jogos de alimentação de energia são imediatamente visíveis e quase que intoleráveis. Nossa energia virá do nosso interior, então pode ser fisicamente doloroso estar em estreita proximidade com os seres humanos que ainda se alimentam como vampiros.

Como seres iluminados, nós abraçaremos a simplicidade. A mente cria a complexidade e percebe o caos, mas agora vamos naturalmente destilar a vida em sua essência. Nós retiraremos a desordem e confusão que costumava cercar a nossa consciência, e ao fazer isso vamos ver a verdadeira beleza e alegria da vida. Este é o lugar onde as cores se tornam mais coloridas, a música tem mais profundidade e riqueza, a comida é mais saborosa, e você pode realmente sentir a batida do coração da natureza.

Mas também, como seres iluminados, vamos perguntar a nós mesmos: "Por que eu deveria ficar?" O contraste entre a sua paz interior e a dureza do mundo exterior pode ser difícil às vezes. Você vai precisar de muito tempo para si mesmo, longe do ruído energético e sedução da consciência de massa.

A iluminação vem gradualmente. Estamos agora vivendo em dois mundos, alguns dias um pouco mais em nossa consciência soberana, alguns dias mais na velha consciência de massa. Não é à toa que ficamos confusos, desorientados e exaustos! Eu podia ver as luzes do "ah ha!" se acenderem no workshop Vivenciando a Ascensão à medida que Saint Germain discutia as alegrias e desafios da iluminação incorporada, especialmente porque estamos vivenciando  dois mundos ao mesmo tempo, amarrados a nenhum dos dois e sentindo a força de ambos.

Saint Germain disse que é como flutuar através de um túnel largo. Os lados do túnel aparentam ser macios e luminosos enquanto nos permitem experimentar graciosamente a transição de um estado de consciência para outro. Mas no momento em que começamos a nos preocupar ou duvidar ou manipular nós somos puxados para o lado do túnel somente para descobrir que a superfície é altamente abrasiva e muito pegajosa.

Se você estiver se perguntando o que está acontecendo e por que está se sentindo da maneira que você se sente há uma boa chance de você estar no meio dos dois mundos. Tome uma boa e profunda respiração e agradeça a sua Ascensão em Vida.

¹O Jet lag (descompensação horária) é uma fadiga de viagem, é uma condição fisiológica que é uma consequência de alterações no ritmo circadiano. O organismo de uma pessoa está acostumado com o tempo de rotação da Terra e quando uma pessoa viaja em um avião mudando de meridiano, pode ocorrer que o dia passe mais rápido e provoque o Jet lag. O Jet Lag ocorre como consequência de viagem através de vários fusos horários, o que se tornou comum com as viagens a jato e daí o nome em Inglês (Jet, jato; Lag, diferença de horário). Desta maneira após uma viagem passando por vários fusos horários a pessoa se sente como se o relógio interno dela (relógio biológico) não estivesse no mesmo do horário do local. Desta maneira logo após uma viagem cruzando fusos horários há um distúrbio do sono pois a pessoa quer dormir no horário que estava habituada e não no horário local - isto denomina-se Jet Lag.
Tradução: Silvia Tognato Magini    silvia.tm@uol.com.br

Fonte http://www.novasenergias.net/circulocarmesim/shaunews.htm

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

domingo, 16 de dezembro de 2012

Iluminação - 21-12-2012 - Saint Germain


Vocês não têm que fazer a ascenão como os Mestres fizeram no passado. Vocês têm essa coisa chamada “seguir o exemplo”. Seguir o exemplo. É onde afirmo que a maioria de vocês realmente está presa no momento. As questões se desmembram nessa coisa toda, mas vocês estão seguindo o exemplo de quem veio antes de vocês.

A sua percepção de iluminação – não vai ser desse jeito. Não quero saber o que vocês acham que é a sua percepção, não será desse jeito, exceto talvez de que vai ser libertador. Ser libertador. Mas afirmo também que vocês realmente não sabem como é serem livres. Vocês têm conceitos muito limitados, restritos, de liberdade. É sério.

Então, vocês imaginam a liberdade, e eu sinto a energia de vocês quando dizem: “Sim, eu quero ser livre.” Eh, vocês querem ser menos escravos, mas não totalmente livres.

Assim, vocês carregam um modelo de como é ser iluminado. Será que poderiam, por favor, começar a partir de agora, a liberar isso, porque não é o que vocês pensam que é, de forma alguma. O modelo que vocês têm é algo baseado nos caras com quem eu ando.

Os seres estimados com quem eu ando, eles não querem que vocês se iluminem como eles fizeram ou como eu fiz. Eles não têm nenhum conceito sobre a ascensão em vida. É por isso que, se vocês forem até eles e perguntarem sobre como vai ser ou como é esse estado de quase iluminação, sabem o que acontece? Eles não têm idéia. Não acreditem neles, se eles começarem a dar conselhos. Nem mesmo acreditem em mim, porque vocês estão fazendo de um jeito diferente.

A energia, que começa particularmente nesse evento de 21 de dezembro, mas que, na verdade, já está vindo lá de trás, a energia é muito diferente, a consciência é diferente e a palavra “iluminação” é diferente.

Quando eu digo “Mestre iluminado”, a maioria de vocês tem a imagem de um guru sentado no topo de uma montanha em completo êxtase. Sabem de uma coisa? Vou lhes dizer agora uma coisa que eu sei por observar vocês. Vocês, enquanto seres iluminados, não serão bobalhões em êxtase. Não serão. Bobalhões em êxtase. Vocês não vão ficar andando em banheiros públicos de túnica branca espalhando fumaça e água nas pessoas.

Não. Vocês vão ser reais. Vocês vão estar na vida. Vocês vão ser mais claros, mais arrogantes e mais fortes do que eu sou com vocês! Por quê? Porque, enquanto seres iluminados que vivem no planeta, o nível de tolerância de vocês vai ficar lá embaixo. E vocês, provavelmente, achando que seres iluminados tinham que ter toda a paciência do mundo. De jeito nenhum. Vocês vão ter menos paciência do que eu tenho.

Quando alguém chegar até vocês e começar a cuspir ilusões e enganos nos seus novos e reluzentes sapatos caros, vocês vão cortá-los mais rápido do que eu quando sou rude com vocês quando estão com o microfone. Por quê? Sem paciência. Por quê? Porque vocês vão saber que pode ser feito. Não há desculpas. Vocês fizeram.

Entendam, os maiores opositores aos fumantes são aqueles que fumavam... Por quê? Porque eles sabem que é possível parar! Eles não têm paciência com isso! Os outros ficam: “Bem, talvez devêssemos criar um espaço pros fumantes.” Os ex-fumantes dizem: “Larga isso agora!” O ex-trouxa diz: “Não tenho tempo para as suas histórias, e nem pra você. Não tenho tempo pra que fique se aproveitando da minha energia como está tentando fazer agora, seu vampiro!” Vejam, vocês vão ser terríveis. Vão me fazer parecer um santo, o que eu realmente sou. Vocês vão ser o exemplo. E, sinto muito aqui, menores de 18, por favor, saiam da Internet agora. Vocês têm copiado o modelo de Yeshua  (Jesus).

Por favor! Esse não é... Esse não é um bom exemplo. Nem é, de fato, obrigatoriamente, o que realmente aconteceu. Mas, ao longo do caminho, determinados seres – e religiões e igrejas – disseram: “Gente, é isso que nós faremos. Vamos colocá-lo numa cruz.” Tipo: “Vocês sempre tentam fazer coisas ruins.” E isso tinha a ver com o sofrimento humano. Sério? Não era isso que Yeshua queria.

E também existe aquele outro modelo de Yeshua como o mais divino dos seres. Ele não era. Ele transava. Ele bebia. Ele ficava bêbado e vomitava. Sim! É é verdade! E contava piadas racistas.

Ele contava piadas politicamente incorretas... sobre os romanos. Vocês não contariam se vivesse em Jerusalém naqueles tempos?! Assim: “Ei, já lhe contei do romano que...?”

Assim, esse é um modelo que ficou impresso em muitos de vocês. E depois vocês ouvem as histórias de andar sobre a água. Isso foi totalmente fabricado. Totalmente fabricado. E as histórias de cura. Yeshua foi o primeiro a dizer que ele não curava ninguém, mas que sabia extrair a cura de dentro das pessoas.

Ele sabia como ser altamente focado, e ele não era necessariamente bonzinho. Se um mendigo ou um doente chegasse até ele, ele não dizia: “Oh, coitadinho.” Ele dizia: “Você vai se curar ou não?!” E olhava direto nos olhos da pessoa. E, quando começavam com encenações, ele se concentrava totalmente nas pessoas até que elas sentissem a coisa dentro delas. Depois, basicamente, ele dizia: “Quando eu vir você da próxima vez, é melhor que esteja morto ou curado!” Vocês riem! Isso é o que vocês vão fazer, porque vocês não vão ter paciência pra todos esses joguinhos, todo esse consumo energético, todas essas desculpas.

O que estamos tratando aqui hoje, meus caros amigos... falamos de ficarem presos, falamos das outras coisas, estamos sendo delicados e indo bem devagar, exceto se vocês forem novos online– esses já devem ter se desconectado a esta altura –, estamos indo devagar. Vocês não vão ter paciência pra isso. Vocês vão dizer: “Livrem-se dos velhos modelos, dos velhos conceitos do que acham que a iluminação será.” Liberem tudo – esse estado de perfeição ou de transformar chumbo em ouro ou todas essas outras coisas. É tudo brincadeira de criança.

E a resposta engraçada é que sim, vocês podem, de fato, fazer isso na iluminação, mas vocês não saem por aí usando isso pra provar que estão iluminados, em primeiro lugar. Dizer: “Quando eu aprender a transformar chumbo em ouro, então, vou saber que estou iluminado.” Ao contrário. Ao contrário. Tem a ver com a iluminação.

Agora, existem outros modelos. Buda, que já mencionei. Buda fez isso com muito sofrimento, coisa que vocês não precisam fazer. Mas, de alguma forma, vocês gostam de se colocar no lugar de Buda, seguir o mesmo caminho. Por quê? Buda desistiu da família dele e depois ficou atormentado, mais mentalmente do que fisicamente, mas fisicamente também. Vocês não precisam fazer isso.

Assim, vamos... Pensem um instante nos outros supostos Mestres. E pensem primeiro – vamos ser bem práticos –, pensem primeiro nas roupas engraçadas que vestiam, os Mestres que vieram antes de vocês. Quando se pensa num Mestre, se pensa nas roupas engraçadas. Lençóis, toalhas, turbantes e coisas engraçadas assim.

Era o estilo, mas vocês não pensam em termos de estilo. Mendigar não era um estilo, mas vocês ainda pensam nesses termos. Em outras palavras, no Mestre pobre. Vocês pensam em termos de abrir mão de tudo e não ter nada, caminhar como um mendigo. Por quê?!

Estou aqui hoje, minha mensagem primordial é esta. Os Mestres Ascensos e eu nos reunimos. Demos uma olhada no que está acontecendo. Fizemos comparações entre nossos diferentes grupos, e devo dizer que nós estamos indo muito bem até agora. Temos a espiritualidade com “altitude”. Altitude! Então, dissemos: “O que está realmente prendendo esse pessoal no momento?” Muito se deve a... Podíamos escrever livros – vamos escrever livros sobre isso. As tantas razões pra ficar preso, e é natural. Mas, no momento, também tem um pouco dessa questão de “seguir o exemplo ou o modelo”.

Quem vão venerar? Não tem muita gente, tem? Vão venerar vocês. Serão vocês.
Então, comecem a definir, até certo ponto, como será a iluminação pra vocês, sem precisar voltar para os velhos standards. Minha colocação hoje é que vocês vão se tornar os Standards para os outros. Vocês vão se tornar os Standards para as pessoas.

Uma das maiores razões para estarem presos é: Quem vocês estão venerando no momento? Digamos que amanhã o Paul de repente ascenda e permaneça no corpo – talvez você já tenha ascendido –, mas digamos que de repente ele ascenda e ganhe aquele brilho em torno dele que pode ser percebido, sentido. E ele não precisa dizer nada, basta ficar lá com aquele... jeito. Mas, de repente, muda tudo nesta sala, porque, de repente – vapt! – vocês dizem: “Alguém conseguiu. Paul conseguiu! Paul! Vamos seguir o Paul! Tchau, Saint Germain!” Vocês se tornam seguidores do Paul.

Se vocês tivessem um Standard real no momento – uma pessoa – pra que pudessem dizer: “Ah, é possível!” Mas ele ainda não surgiu pra vocês. Existem alguns. Existem alguns. Eles são sábios. Recentemente, apareceu um rapaz no Brasil, bem jovem. Ninguém conhece nada sobre ele. Ele não fazia parte de nenhum grupo espiritual. Vivia numa cidadezinha de interior. É óbvio que ele trabalhou pra isso durante muitas existências. Ele não teve orientação. Ele não teve o benefício do Círculo Carmesim. De repente, ele chegou lá. Ele vai permanecer quieto por um tempo. Quieto, por uma boa razão. Mas se vocês tivessem alguém que, de repente, entrasse aqui no mês que vem e, de repente, vocês todos soubessem que essa pessoa conseguiu, ela serviria de exemplo, seria um modelo pra vocês.

Vocês se sentiriam melhor, dizendo: “Oh, meu Deus, posso dar esse salto. Posso adentrar na escuridão. Posso liberar todos os meus medos que vou ficar bem.” Provavelmente, isso não vai acontecer, porque vocês devem todos fazer isso mais ou menos ao mesmo tempo, num prazo geral. Mas posso lhes dizer agora mesmo que será bom. Ah, não, não é isso. Será... vocês usam palavras como impressionante, incrível; palavras super usadas. Será mais que isso. Será muito mais, e vai acontecer.

Vocês estão meio presos no momento. Vocês não têm um bom modelo aí fora. Vocês não têm muitos outros seres que fizeram isso com graça e tranquilidade. Os Mestres antes de vocês – sofrimento e dor. Vocês não têm muitos bons Standards em quem pensar, em termos de sua própria iluminação, então, vamos começar a criar isso. Vamos começar a reunir os atributos, sobre os quais já falamos em alguns de nossos workshops, e as coisas que vocês, enquanto Mestres iluminados que caminham no planeta, vão querer compartilhar com os outros enquanto Standards.

Abundância. Sim. Não se sintam culpados com a abundância. Já ouvi alguém dizer: “Mas isso não deve estar no topo da nossa lista.” Por que não? Por que não? Por que não? Vocês sabem por que não? Porque essa lista, ou seja lá como queiram chamar – esses atributos – vão mudar constantemente. Pode ser o item número um hoje, pode ser o número dez amanhã. É algo muito dinâmico, muito alterável. E também os atributos de um Mestre iluminado estando num relacionamento em que ambos sejam soberanos. Eles não precisam esperar mais um pelo outro. Pra serem soberanos.

E – ouçam com atenção – em que vocês não tenham que estar em perfeita saúde física e não tenham que, necessariamente, atravessar paredes. Vocês ainda têm esse conceito. Algumas vezes, o ser iluminado também fica meio doente. É um processo de rejuvenescimento biológico, mas vocês estão parando aí e dizendo: “Não posso. Meu corpo, sabe como é. Estou com câncer. Meus ossos doem. Tenho determinadas coisas.” Vocês podem ser Mestres iluminados e ainda não terem recuperado e curado a biologia. Mas vocês também aprenderão a valorizar como é estar na biologia e permitirão – sublinhem permitirão – que a cura, enfim, aconteça.

O Mestre iluminado – os modelos que vocês vão... os Standards que vocês vão criar... Vocês não terão que usar roupas engraçadas ou estar em serviço constante pra toda a humanidade nem nada dessas coisas.

Assim, quando voltarmos, na Nova Energia, daqui a um mês, quando voltarmos, depois de passarmos pelas experiências interessantes que relacionamos aqui antes, quando voltarmos, comecem a relacionar esses atributos e a vivê-los. Não só relacionar, mas viver esses atributos. Os novos Mestres Ascensos. O mundo precisa de Standards mais do que qualquer outra coisa. Não teria sido legal se vocês tivessem tido um grupo que ficasse bem aqui na frente de vocês e vocês pudessem perguntar, tocar e mexer no corpo deles e perguntar como era?

Aqueles que virão depois de vocês terão isso com vocês. Com vocês. Bem agora, vocês contam com estes métodos – canalização, informações, coisas assim –, mas os que virão depois de vocês terão vocês como professores e como Standards.

Vocês estão um pouco presos no momento, e, bem agora, mais do que nunca, é natural ficar um pouco preso na iluminação. As energias estão convergindo. Elas são fortes. O corpo reage. A mente fica meio desnorteada. Vocês têm algumas questões de abundância, o que, no final das contas, não significará nada, Larry. Vocês estão meio presos; vocês respiram fundo. E vocês sabem o que vou dizer agora, porque são cinco horas.

Vocês respiram fundo e lembram que tudo está bem em toda a criação.

E assim é.

Saint Germain

A canalização completa do mês de dezembro você encontra no link abaixo.

Fonte: http://www.novasenergias.net/circulocarmesim/textos/liberdade_3.html

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

A Voz da Liberdade


As Velhas Vozes

E vocês não são burros. Não existe burrice alguma. Vocês estão no meio de experiências. Vocês estão começando a entender que podem escolher as experiências – como querem tê-las, como querem se tornar iluminados. Será que vocês querem fazer do jeito difícil como os velhos Mestres ou do jeito fácil?

Não, porque humano esperto ou inteligente é o mesmo que humano tentando aperfeiçoar sua condição de humano, e isso não pode acontecer nunca, jamais, jamais. Vocês realmente não podem. Vocês tentam ser espertos, vejam bem, se intelectualizarem para a iluminação, ou estudar o caminho para a iluminação –vocês não podem. Todos os Mestres aprenderam, e vocês também podem aprender, que é preciso deixar ir tudo. Todos os ensinamentos, todas as crenças, todo o makyo, tudo – vocês deixam ir. Vocês simplificam, vocês deixam de ser espertos e, de repente, vão dizer: “Oh, estou iluminado.” A esperteza, o aperfeiçoamento, o entendimento das coisas, vocês nunca terão! Então, desistam de tentar e deem a si mesmos um monte de liberdade.

Não foram vocês. Entendam, foi essa coisa esdrúxula que realmente não era vocês, mas que estabeleceu uma dinâmica esdrúxula falando ao pé do seu ouvido. Todas essas dinâmicas esdrúxulas falando ao pé do seu ouvido são gravações que se repetem indefinidamente. Vocês têm velhas vozes – um monte de velhas vozes. Elas estão programadas bem lá dentro, graças à consciência de massa – programadas bem aí dentro. Estão programadas lá no fundo dos seus aspectos, de suas vidas passadas, que realmente não são vocês. Estão, de fato, programadas já no amanhã. Já têm seus tentáculos – fiiiuuu! – no amanhã, essas programações. Todas as vozes já estão lá, esperando vocês se levantarem amanhã pra que possam começar a tagarelar novamente. O único descanso que vocês têm, muito de vez em quando, encontra-se no estado de sonho – de vez em quando –, mas vocês não se lembram disso. Vocês não se lembram que foram até essas dimensões incríveis onde estão livres dessas vozes, porque as vozes tomam conta antes mesmo de vocês voltarem de lá.

Ah, é... vejam bem, é uma das coisas mais tristes, quando observo vocês. Vocês vão até lá. Algumas noites, vocês entram nas esferas realmente altas. É incrível. E é quando vocês realmente, realmente, se expressam como Vocês. E, então, quando estão voltando, como se estivessem no ônibus espacial, fazendo a reentrada na Terra, vocês dizem pra si mesmos: “Eu vou me lembrar. Eu vou me lembrar. Eu vou me lemb... O que era pra eu lembrar mesmo?” E ouvem todas aquelas vozes: “Deh, de deh, de deh, de da! Nada aconteceu enquanto você estava lá fora. Deh, de deh, de dah. Concentre-se. Você tem que trabalhar hoje. Você é burro. Você é pecador, seu cretino egoísta. E está separado! Está separado de Deus! Você tem que voltar!” As vozes começam a falar: “Blá, blá-blá, blá-blá, blá-blá.” É verdade.

Parem um instante. Prestem atenção. Só escutem. Não tentem bloquear. Prestem atenção. Escutem essas vozes, de onde elas vêm, de quem elas são.

Elas não pertencem a vocês. De verdade. Ah, às vezes, vocês gostam de achar que elas pertencem, porque vocês são pecadores, mas não pertencem a vocês. Estão programadas aí dentro. Elas estão lá, e ficam se repetindo. E, entendam, elas provocam essa terrível coisa chamada dúvida que põe a energia de vocês lá embaixo, impede que vocês tenham inspirações, faz com que fiquem só desejando as coisas. E as coisas não acontecem, e vocês ficam realmente deprimidos, e depois isso afeta o corpo de vocês e ah, dah, da-da...

A Nova Voz da Liberdade

Nós vamos mudar isso. Há uma nova voz. Ela já está aí. Já está. Vocês não têm que comprá-la. Não têm que ler nenhum livro especial nem escutar nenhum programa especial. Ela já está aí. Sempre esteve, só que vocês não a ouviam. E é uma voz mais silenciosa, porque é mais real. É mais vocês. É uma voz equilibrada, uma voz que fala a verdade, que não fica discursando sobre aqueles itens que citamos. Nem essas outras coisas. É uma voz que está esperando por um espaço seguro e um momento de tranquilidade. É a nova voz da liberdade.

A nova voz da liberdade. Prestem atenção a ela por um instante. Não é parecida com nenhuma das velhas vozes.

Prestem atenção a ela por um instante. Talvez nem ouçam palavras, porque ela é realmente um sentimento. É uma ressonância.

Lembram-se de quando fizeram o DreamWalk noutro dia, o que fizeram? Nós não falamos. Nós irradiamos, iluminamos, inspiramos. Mas não dissemos uma palavra.

Então, escutem por um instante. Respirem bem fundo. É a nova voz da liberdade.

Está no seu estômago. Está nos seus braços. Está nos seus pés. Está no seu coração. Não está, de fato, na sua cabeça.

A nova voz da liberdade não vem de outra pessoa. Não vem de mim. Nem do Espírito.

É essa voz, essa ressonância, que tem estado aí o tempo inteiro. De vez em quando, vocês têm um vislumbre dela, mas, então, depois de alguns segundos, minutos ou dias, vocês são puxados novamente para a consciência de massa, para ontem e hoje.

Elas não deixam vocês saírem do hoje. Elas não deixam vocês correrem atrás de seus sonhos essas outras vozes, as velhas vozes. Mas esta nova voz da liberdade... ela nem chega a ser nova... É a voz da liberdade.

Total liberdade.

O que fazer? Falamos de um novo amanhã, falamos do que os sonhos podem se tornar, falamos de liberdade. O interessante é que não é pra fazer nada, realmente nada, exceto continuar respirando e permitindo, permitindo.

Porque, se vocês acordarem amanhã dizendo “Ah, tenho que tornar o hoje diferente de ontem. É melhor eu começar o dia com meu eu humano, minha mente humana, e é melhor eu tomar iogurte em vez de aveia”... como se isso fosse libertar vocês?... [Algumas risadas] “É melhor subir as escadas de costas pra enganar o Espírito”... ah, e sua alma, não vai funcionar. E, se tentarem – como se diz? – forçar sua saída das velhas prisões, das velhas dinâmicas, esse mecanismo, na verdade, pode trabalhar contra vocês. “Vou mandar embora aquela pessoa, porque quero ficar livre. Então, vou dizer a ela o que se passa na minha mente.” Isso não é liberdade. Isso é ser agressivo.

Liberdade, soberania – eu uso estas palavras como sinônimos – é um estado de consciência. O que acontece é que, quando vocês respiram e escolhem isso, quando vocês prestam atenção a essa voz silenciosa, então isso muda toda a sua dinâmica energética. Na verdade, vocês não precisam fazer nada. Vocês ficam lá, no meio da tempestade, e tudo acontece. É a aceitação. É o perdão. É sentir essa nova voz da liberdade. Vocês, de fato, não têm que fazer nada. Essa é a parte incrível. Vocês não têm que provocar a mudança num nível humano linear, de dualidade.

Assim como no nosso DreamWalk noutro dia, vocês estão no seu próprio DreamWalk do seu próprio amanhã. Vocês apenas ficam na sua presença. De repente, tudo se alinha com vocês para a liberdade. Significa que algumas pessoas podem sair da sua vida, outras podem entrar nela. Significa que alguns velhos sistemas de crenças, alguns velhos trabalhos, o que for, se movimentam, vocês não.

Lembrem-se de que, um tempo atrás, Tobias contou uma de suas longas histórias sobre isso ser como andar de bicicleta. Quando vocês pensam em andar de bicicleta, vocês pensam em pedalar, se movimentar e em como vão agir. Não na bicicleta da Nova Energia. Nela, vocês ficam parados. Vocês não se movem. Todo o restante, sim. A paisagem, a realidade, se transforma e muda, e tudo que vocês têm que fazer é o que fizemos no DreamWalk noutro dia – estar em sua presença com compaixão. Só isso. Estar em sua presença com compaixão. Sem lutar, sem tentar fazer planos para com relação a isso.

Respirem fundo... Sintam a liberdade, a soberania. Vocês não têm que fazer nada. Tudo acontece.

Depois, vocês ficam com um grande sorriso no rosto, quando alguém pergunta: “Como você fez isso? Não, é sério. Digo, foi incrível. Foi quântico. Como você fez isso? Que livros você estudou? Que grande Mestre você seguiu?” [Risadas] E vocês dizem: “Nada disso. Tudo que eu fiz foi respirar fundo e dizer ‘Tudo está bem em toda a criação’.”

Saint Germain – Novembro 2012

 

domingo, 11 de novembro de 2012

Tarô Dourado de Botticelli

Lindo trabalho do autor, Atanas Alexandrov Atanassov. Feito todo a partir das obras de Sandro Botticelli, este Tarô é riquissimo em cores e detalhes. Editado pela editora Madras, que é muito boa em vender seus livros, o livro que acompanha este baralho é uma porcaria, não explica nada que preste a repeito do Tarô. Para estudos sérios, continuo recomendando os livros de Nei Naiff. Caso você queira comprar este baralho, tenha em mente que é a única coisa que você vai aproveitar dele são as cartas mesmo. Pelo trabalho visual, vale a pena, pelo livro, esqueça.

domingo, 4 de novembro de 2012

Liberdade - Saint Germain


Estamos falando de liberdade. Estamos nos divertindo, talvez de um jeito bobo, às vezes, mas é realmente pra fazer as energias se movimentarem.

É muito importante rirmos de nós mesmos, não nos levarmos tão a sério. Gargalhar um pouco é bom. Liberdade é um tema muito pesado, de fato, porque há uma relutância em se trabalhar com isso no momento. Todas as desculpas do mundo para não se ter liberdade.

É cada razão pra fingir que não se sabe o que é liberdade que... E outra coisa é que, às vezes, vocês dizem a si mesmos que são livres, mas não são. Realmente não conheço nenhum humano no momento que seja livre de verdade. Vamos agora apenas sentir essa coisa que vai ser uma parte muito importante da sua vida nos próximos meses.

Reiterando... nos próximos meses – não há uma data certa, mas nos próximos meses – tudo que surgir em sua vida, cada experiência, tudo que acontecer vai estar relacionado à liberdade. Vai ter a ver com liberdade. As energias vão levar vocês a tratarem de liberdade e vão surgir bem diante do seu nariz, e pode ser a coisa mais divertida, fácil, realizadora e recompensadora que já fizeram, ou a mais difícil. Não, vocês não querem isso. Não. Vocês dizem. Vocês dizem, mas vamos colocar as cartas na mesa aqui, ou seja, sem makyo.

Vocês dizem que não, mas olhem o que estão criando. Olhem o que vocês estão criando. Vocês estão fazendo um trabalho maravilhoso, de um modo geral, mas ainda há essa hesitação, essa interrupção. Ainda há esse sentimento e essa atitude de “não sei que estou conseguindo”. Ainda há uma espera de que algo que vem de fora de vocês aconteça pra que possam reagir em vez de criarem isso vocês mesmos. Isso é a verdadeira liberdade, quando vocês criam a coisa. Quando tudo que acontecer a vocês, de agora em diante, vocês entenderem, saberem que estão criando. Que vem de vocês. Vocês não ficam questionando a coisa, não ficam falando palavras bonitas, mas sim: “Ah! Essa é a beleza das minhas criações.”

Agora, uma criação não é algo que vocês tenham que construir na mente. Uma criação não é algo que vocês tenham que planejar. Vocês realmente não podem planejar a criação. Planejar é uma coisa mental muito humana – muito humana. A criação vem ao se permitir o livre fluxo de energias, sem dizer “se”, “e” nem “mas”. Mas o que acontece – embora isso soe muito bem, embora vocês venham trabalhando com isso há muitas e muitas existências... o que acontece com frequência é que vocês dizem muitas vezes “se”, “e” ou “mas”, ou pior ainda – vamos acrescentar mais uma coisa à lista do que vocês dizem – “eu não sei”. Esta, então, é provavelmente mais perigosa ou mais dolorosa do que as outras coisas. Essa coisa de liberdade... não existe esse negócio de “se”, “e” nem “mas”. Ou é ou não é. Simples assim. Vamos respirar fundo e sentir a liberdade. Falamos sobre ela. Usamos palavras, mas vamos agora senti-la.

Saint Germain - Canalização Outubro 2012

sábado, 8 de setembro de 2012

Os Propósitos dos Sete Superuniversos - Livro de Urântia - Doc 15


Existem sete propósitos maiores que se desenvolvem na evolução dos sete super- universos. Cada um desses propósitos maiores, na evolução de um superuniverso, encontrará a sua expressão mais plena em apenas um dos sete superuniversos e, desse modo, cada superuniverso tem uma função especial e uma natureza única.
Orvônton, o sétimo superuniverso, aquele ao qual o vosso universo local pertence, é conhecido, principalmente, pela sua imensa e pródiga outorga do ministério de misericórdia aos mortais dos reinos. É renomado pela maneira segundo a qual prevalece a justiça, temperada pela misericórdia; e pela qual o poder governa, condicionado pela paciência; enquanto os sacrifícios no tempo são feitos livremente para assegurar a estabilização na eternidade. Orvônton é um universo que é uma demonstração de amor e de misericórdia.

É muito difícil, contudo, descrever a nossa concepção da verdadeira natureza do propósito evolucionário que se desenvolve em Orvônton, mas pode ser sugerida, quando dizemos que nessa supercriação nós sentimos que os seis propósitos singulares da evolução cósmica, do modo como estão manifestados nas outras seis supercriações semelhantes, estão aqui interassociados, em uma significação que abrange o todo; e é por essa razão que, algumas vezes, conjecturamos que a personalização evoluída e acabada de Deus, o Supremo, irá, em um futuro remoto, governar os sete superuniversos perfeccionados, a partir de Uversa; na sua majestade experiencial plena e seu poder soberano Todo-Poderoso, então já alcançado.

Do mesmo modo que Orvônton é único, pela sua natureza, e individual, pelo seu destino, também cada um dos outros seis superuniversos do conjunto o é. Uma grande parte de tudo aquilo que está acontecendo em Orvônton não é, entretanto, revelado a vós; e, dentre esses aspectos não revelados da vida de Orvônton, muitos encontrarão a expressão mais plena em algum outro superuniverso. Os sete propósitos da evolução do superuniverso estão ativos em todos os sete superuniversos, mas cada supercriação dará expressão mais plena a apenas um desses propósitos. Para se compreender mais sobre esses propósitos dos superuniversos, grande parte de tudo aquilo que não entendeis teria de ser revelada, e ainda assim vós não iríeis compreender senão pouquíssimo. Toda esta narrativa apresenta apenas uma visão rápida da imensa criação da qual o vosso mundo e o vosso sistema local são uma parte.

O vosso mundo é chamado de Urântia, e o seu número é 606, no grupo planetário, ou sistema, que é o de Satânia. Esse sistema tem, presentemente, 619 mundos habitados e mais de duzentos outros planetas que estão evoluindo favoravelmente no sentido de tornarem-se mundos habitados em algum tempo futuro.

Satânia tem um mundo sede-central chamado Jerusém, e é o sistema de número vinte e quatro da constelação de Norlatiadeque. A vossa constelação, Norlatiadeque, consiste em cem sistemas locais e tem um mundo sede-central chamado Edêntia. Norlatiadeque tem o número 70, no universo de Nébadon. O universo local de Nébadon consiste em cem constelações e tem uma capital conhecida como Sálvington. O universo de Nébadon é o de número oitenta e quatro, no setor menor de Ensa.

O setor menor de Ensa consiste em cem universos locais e tem a capital chamada U Menor, a terceira. Esse setor menor é o de número três no setor maior de Esplândon. Esplândon consiste em cem setores menores e tem um mundo sede-central chamado U Maior, a quinta. É o quinto setor maior do superuniverso de Orvônton, o sétimo segmento do grande universo. Assim, vós podeis localizar o vosso planeta, no esquema da organização e da administração do universo dos universos.

O número do vosso mundo, Urântia, no grande universo é 5 342 482 337 666. Esse é o número do registro em Uversa e no Paraíso, é o vosso número no catálogo dos mundos habitados. Eu conheço o seu número de registro na esfera física, mas é de um tamanho tão extraordinário que seria de pouco significado prático para a mente mortal.

O vosso planeta é membro de um enorme cosmo; vós pertenceis a uma família quase infinita de mundos, mas a vossa esfera é tão precisamente administrada e fomentada, com tanto e tal amor, que é como se ela fosse o único mundo habitado em toda a existência.

[Apresentado por um Censor Universal proveniente de Uversa.]


quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Urantia - Documento 15


Quando a harmonia espiritual desenvolve-se em um universo local, de modo que os seus circuitos individuais e combinados se tornem indistinguíveis dos do superuniverso, quando tal identidade de função e unidade de ministração factualmente prevalecem, então, o universo local, de imediato, liga-se aos circuitos estabelecidos de luz e vida, tornando-se instantaneamente qualificado para a admissão à confederação espiritual da união perfeccionada da supercriação. Os requisitos para a admissão aos conselhos dos Anciães dos Dias, para o ingresso na confederação dos superuniversos, são os que se seguem:

1. Estabilidade Física. As estrelas e os planetas de um universo local devem estar em equilíbrio; os períodos de metamorfose estelar imediata devem haver chegado ao fim. O universo deve estar seguindo uma trajetória clara; a sua órbita deve estar fixada em segurança e definitivamente estabelecida.

2. Lealdade Espiritual. Deve existir um estado de reconhecimento universal e de lealdade ao Filho de Deus Soberano, que preside aos assuntos de tal universo local. É necessário que se haja alcançado um estado de cooperação harmoniosa entre os planetas individuais, sistemas e constelações de todo o universo local.

O vosso universo local ainda não é reconhecido nem como pertencente à ordem fisicamente estabelecida do superuniverso, muito menos como membro da reconhecida família espiritual do supergoverno. Embora Nébadon não tenha ainda representação em Uversa, nós do governo do superuniverso, somos, de tempos em tempos, despachados para os mundos de Nébadon, em missões especiais, do mesmo modo que eu vim até Urântia, diretamente, de Uversa. Damos toda a assistência possível aos vossos diretores e governantes, na solução dos difíceis problemas deles; estamos desejosos de ver o vosso universo qualificado para a admissão plena às criações interrelacionadas da família do superuniverso.

Fonte: O Livro de Urântia -  Documento 15

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Canalização Saint Germain - Agosto 2012


Queridos Shaumbra, a jornada começou para todos nós, todos nós, nos Templos de Tien, em Atlântida. Nos Templos de Tien, nós nos reuníamos. Nós previmos um tempo como este, treze ciclos atrás, um tempo de mudança e um tempo de evolução pra todos nós. Começou lá.

Nós não sabíamos que reviravoltas ocorreriam no caminho. Não fazíamos ideia, não tínhamos nenhum conceito sobre as dificuldades e os desafios, as lágrimas e as risadas. Não podíamos sequer imaginar, naquela altura, que haveria dias e existências em que ficaríamos completamente perdidos, completamente tomados pela perda de esperança, pela perda de visão, pela perda de identidade. Mas imaginamos, lá nos Templos de Tien, um tempo que chegaria e em que falaríamos a palavra “iluminação”, em que a aceitaríamos em nós mesmos, em que literalmente poderíamos trazer essa consciência para esta realidade – uma realidade que sabíamos que era densa e cruel, uma realidade que tentaria quase tirá-la de nós. Mas, com uma profunda paixão que todos nós trouxemos de Atlântida, sabíamos que ela se sustentaria e sabíamos que ela desabrocharia aqui na Terra.

Atlântida foi um tempo do mental, do desenvolvimento da mente, da padronização de nós mesmos como seres humanos neste planeta que amamos tanto. Foi um tempo para pensar, foi um tempo para estruturar, foi um tempo para projetar, e isso foi o que fizemos. Projetamos o modelo completo do humano que agora vemos no planeta.

E, em Atlântida, também previmos um tempo em que atravessaríamos essa linha do mental – do mental que nos mantinha no lugar, nos mantinha juntos, nos reunia, nos permitia ver nosso mundo através de olhos mentais e humanos. Mas dissemos a nós mesmos: “Chegará um tempo em que cruzaremos essa linha, em que ultrapassaremos a era mental, em que passaremos para a próxima era da Nova Energia.” E aqui estamos nós. Aqui estamos hoje.

Depois de Atlântida, ressurgimos debaixo do solo, onde vivemos protegidos, mas também era um símbolo de nosso próprio olhar interior, de ir para a visão interior, conectar-se com nossas almas e nosso divino, o que era difícil quando ainda estávamos envolvidos com todas as atividades do lado de fora ou do mundo de cima.

E de lá passamos para o período do Egito, saindo, literalmente, do solo e entrando nos templos, nas pirâmides ao redor do mundo. Emergimos. Tantos de vocês, nos tempos do Egito, nas grandes pirâmides, nas Câmaras dos Reis, respirando nossa divindade, respirando os potenciais para esta era da humanidade.

Mais tarde, nos reunimos de corpo e alma nos tempos de Yeshua, como essênios, como aqueles que traziam os mistérios para este planeta e proclamavam o que muitos pensavam que seria o início de um novo tempo, de uma nova era, mas que todos vocês sabiam que ela já tinha começado. Caminhar com o grande Mestre Yeshua, nas terras de Israel, trazendo aquelas energias, semeando esta Terra com a energia crística, a energia de Christos.

Sem esquecer dos tempos de Tobias. Sim, Tobias. O querido Tobias, e muitos de vocês estavam lá também nesses tempos. Tobias Pai, também chamado Tobit – Tovius. Tobias Filho, Sarah, Arcanjo Rafael. Uma linda história e um tempo em que, novamente, estávamos todos juntos, todos reunidos para esse propósito de realizar o que tínhamos imaginado lá atrás nos templos de Atlântida.

E, depois, nas Escolas de Mistério – ah, as Escolas de Mistério – por toda a Europa. Um lugar de diversão e de estudo, um lugar para realmente entender como evocar o divino. Mas, como sabem, o mundo não estava pronto naquela altura. As Escolas de Mistério eram como ilhas, como ilhas em si mesmas, com muita celebração, mas no momento em que vocês – nós – saíamos para o mundo de fora, era um choque. Era traumático, sair das lindas energias da Escola de Mistério para a consciência muito, muito densa do mundo humano.

E, agora, este tempo. Há treze anos a verdadeira energia dos Shaumbra começou a se manifestar. Com os anos, muitos de vocês convocaram esse novo chamado do Arcanjo Gabriel, esse novo chamado para se juntarem, dizendo: “É a hora para a iluminação.” É a hora. Foi esse chamado que nos reuniu, mês após mês, ao longo destes anos. Um chamado que produziu algo dentro de vocês, que lhes deu coragem, lhes deu esperança para sua própria iluminação. Não para o mundo, não para a sua família, não para ninguém além de vocês. Deu a vocês o potencial trazido para esta Terra para estarem em sua iluminação.

No dia de hoje, nós vamos além. Vamos cruzar a Linha Atlante, sair do mental, do mental em que vocês têm estado, quase presos. Falamos sobre isso com frequência em nossos encontros, mas hoje pode-se dizer que as energias estão certas. Estão aqui para vocês irem além. Além.

Este lindo púlpito é mais do que algo em que vou bater e me apoiar nos meses e anos que se seguirão. É mais do que um móvel, do que apenas a madeira. Este púlpito – e espero que todos vocês o toquem hoje antes de irem embora –, este púlpito é verdadeiramente um símbolo de onde todos nós estamos. É o símbolo da sabedoria de vocês. Ele não foi dado a mim. Foi dado a vocês. É um símbolo da sabedoria de vocês. É um símbolo do que vocês têm a oferecer aos outros como professores de energias espirituais. É um símbolo de tudo que vocês aprenderam, do que dissemos juntos, ao longo desses últimos treze anos. É um símbolo da iluminação, é um símbolo de vocês – de vocês tomando seu lugar de direito em seu púlpito. Cada um e todos vocês não estão sentados na plateia, metaforicamente, mas estão em seu próprio púlpito, falando com sua própria voz. Com uma plateia que pode não ter ninguém além de vocês mesmos, ou uma plateia que pode encher grandes salões. Isto é um símbolo da jornada, de onde chegamos desde os Templos de Tien, em Atlântida, de onde vocês chegaram nestes treze anos. Eu sei que parece um longo tempo, às vezes, treze anos. Treze anos dedicando sua vida, e mais, treze anos como a energia Shaumbra. Mas quando vocês consideram o quão longe ficaram os tempos de Atlântida, os tempos de Tobias, Yeshua, e mesmo das Escolas de Mistério, treze anos é um tempo muito curto, realmente. Assim...

A única coisa que falta é champanhe. Mas acho que concessões serão feitas mais tarde, hoje.

Assim, queridos Shaumbra, vamos respirar fundo pelo símbolo de sua sabedoria, de seus ensinamentos, de sua jornada. O púlpito – como queiram chamá-lo, pódio, púlpito de orador – istorepresenta a sabedoria de vocês.
Ah, respirem fundo. Ah. Ótimo. Ótimo.

A canalização completa você encontra em www.novasenergias.net/circulocarmesim 

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Como é a Ascensão?


Na ascensão, há uma total integração do Corpo de Consciência. Não é um atributo físico, mas é a mente, o corpo, o espírito, os aspectos, os cães que ladram e todo o resto que se reúnem. Então, na ascensão, quando vocês basicamente deixam este planeta de vida, deixam o corpo físico, o corpo físico realmente os acompanha.

Pode ser feito de duas maneiras. Ele pode literalmente desintegrar. Pode ir com vocês para a outra dimensão, como eu fiz, como muitos outros Mestres Ascensos fizeram. Não queremos deixar nossos ossos pra trás. Vejam bem, não deixar resíduo na Terra. Entendam, é levar o corpo com vocês. Outras vezes, alguns Mestres Ascensos deixaram a biologia física, mas levaram todos os atributos dessa biologia com eles. Por quê? Bem, porque foi parte da experiência. Permanece pra sempre na essência ou na memória da alma. Então, vocês levam tudo... porque estar na realidade física é algo incrível. Vocês podem fazer sexo, comer comida, beber vinho, sentir o ar, tomar banho, tocar outra pessoa, fazer todas essas coisas no corpo físico. Por que não iriam querer levar, pelo menos, os atributos? E aqueles que estão verdadeiramente integrados e escolherem isso também levam a carne e os ossos. Não é bem que eles possam literalmente criá-los, mas apenas a ilusão da realidade é que desaparece e, com ela, todos os ingredientes que estavam lá.

domingo, 22 de julho de 2012

Canalização Saint Germain - Julho 2012


Iluminação. Iluminação – tem a ver com estar presente. Tem a ver com estar consciente, e há uma enorme diferença em estar na mente e estar consciente. Realmente há. Conscientes – vocês na verdade não têm que usar muito a mente.

Vocês estão a meio caminho do 12-12-12. Sim. “Só meio caminho?”, vocês dizem. Meio caminho. Mas não termina necessariamente em 21/12. Não termina necessariamente no fim do ano ou em 21 de dezembro. Vai ficar um monte de resíduo. O que acontece em 21 de dezembro? [Alguém diz: “Um outro dia.”] Basicamente, um outro dia, mas foi implantado na consciência de que seria um dia especial. Até aqueles que não estão na mesma consciência têm esse pequeno implante, essa pequena dúvida se será o fim do mundo, o fim de uma era ou apenas outra – o que é bem estranho – esperança perdida.

Já se deram conta de que vai ter muita gente acordando no dia 22 de dezembro e sentindo uma esperança perdida? “Oh, merda”, como diria Sart, “é apenas outro dia.” Isso é provavelmente mais difícil do que ver algum tipo de grande desastre mundial, drama, porque muitas pessoas vão acordar no dia 22 de dezembro e dizer: “Melhor impossível. Falam das mudanças. Falam do novo mundo. Falam do fim do velho mundo, o que seja. É apenas outro dia.”

Essa é talvez uma das coisas mais difíceis, porque nisso está uma perda de esperança, ou uma perda de salvação, digamos. Uma perda de algo que vinha fazer uma mudança significativa. Para vocês, no final deste ano, realmente não importa, porque o que está acontecendo agora – particularmente com todas essas energias devastadoras, todos os influxos de energia chegando e todas as formas com que os humanos lidam com eles –, o que está realmente acontecendo é a revelação de todo um novo conjunto de potenciais. Potenciais que sempre estiveram aí – sempre, sempre estiveram aí –, mas estavam disfarçados. Estavam atrás da nuvem ou do véu, fora das vistas e da consciência dos humanos.

O que está acontecendo bem agora é que alguns deles estão se mostrando. Para vocês, há muitos anos já vêm sentindo esses potenciais, e eles estavam basicamente disponíveis pra vocês. Para a humanidade, esses potenciais vão começar a entrar na consciência agora, em grande parte por causa do trabalho que vocês fizeram em sua própria consciência.

Então, não terá um evento dramático em 21 de dezembro, nem semanas ou meses depois, necessariamente. Não será algo drástico. Será uma abertura gradual, e algumas vezes de grande intensidade. Na verdade, este verão está muito intenso, como já devem ter sentido. O outono vai ser mais ameno. [Alguém diz: “Yees!”] Bem, não acabei ainda. [Risadas] Estamos só no outono. [Adamus ri.] Vai dar a vocês, dar a todos, uma sensação de paz e tranquilidade. “Ahh!”

A iluminação é um processo natural, meus caros. Um processo natural. Esse é talvez minha colocação mais importante e continuará sendo até eu partir.

A iluminação é um processo natural, e vou continuar falando disso indefinidamente, porque, primeiro, esse estado de consciência humana limitada não é natural. Ter um corpo separado, uma mente separada não é natural. Não saber ou não sentir quando eu digo “Eu Sou o que Sou” e ficar tentando entender, não é natural. Estar separado de si, do que chamam de Espírito, de sua alma, não é natural. A falta de abundância não é natural. Todas essas coisas não são naturais. A solidão não é natural. Não é. Todas essas coisas foram criadas por vocês, colocadas aí por vocês como parte de alguma experiência gloriosa. Tem que ter um jeito melhor de fazer isso.

Eu sei que alguns de vocês gostam de pensar que são “fashionistas” espirituais. Não fascistas, fashionistas. Fashionistas. Nós inventamos palavras aqui nos Shouds, como fashionista. Designers espirituais. E, às vezes, o que vocês têm é tão antigo, vejam, com relação a ter que fazer. Vocês não têm que fazer nada. Agora, sua mente diz que vocês vão ficar sem dinheiro e todo mundo vai achar que vocês, vejam, entraram num culto.

É tão desesperador, acho que é assim que chamariam. É tão desanimador olhar alguns de vocês trabalhando a sua iluminação. Por quê? Porque vocês não fazem a menor ideia do que realmente é isso. Sério. Brincamos desse jogo nos workshops – o que é iluminação? “Eu não sei, mas acho que vou ficar talvez um pouco mais jovem, e acho que meu DNA vai ficar um pouco melhor, e terei um pouco mais de dinheiro.” Isso não é iluminação. São resultados da iluminação. Não a iluminação.

Ela está acontecendo! Parem de pensar sobre isso, parem de planejar isso e apenas vivenciem isso.

Verdade. Grande pronunciamento. Ah, não está 100% certo, mas 99,9%. Essa é uma afirmação que voltará a assombrá-los. Essa coisa chamada bóson de Higgs, que é basicamente a partícula – o que ela não é, de modo algum, mas não quero dizer isso a eles... Essa partícula que basicamente coloca energia na matéria. E depois de dez bilhões de dólares investidos nessa pesquisa, apenas com o CERN, sem mencionar outros, eles tinham que fazer um comunicado de imprensa que dissesse alguma coisa, porque estão buscando mais financiamento. Disseram: “Achamos que descobrimos.” Na verdade, estão parcialmente certos. Eles descobriram metade da coisa. [Alguém pergunta: “Você está falando de fusão fria?”] Não, estou falando dessa “partícula de Deus”. Sim.

Agora, eu não disse limitar-se apenas a esta dimensão, porque o fato é que vocês podem estar em muitas dimensões. Vocês podem estar em muitas realidades ao mesmo tempo e estarem conscientes de todas elas. Mas começa com estar presente bem aqui. Este é o ponto em que vocês recebem as energias. Este é o ponto em que vocês recebem a sua alma. Este é o ponto em que vocês recebem a condição de Eu Sou.

A canalização completa você encontra no link abaixo: http://www.novasenergias.net/circulocarmesim/textos/e2012_11.html