domingo, 28 de agosto de 2011

Internacionalização da Amazônia


ESSA CALOU OS AMERICANOS! SHOW DO MINISTRO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS

Essa merece ser lida, afinal não é todo dia que um brasileiro dá um esculacho educadíssimo nos americanos!

Durante debate em uma universidade, nos Estados Unidos, o ex-governador do DF, ex-ministro da educação e atual senador CRISTÓVAM BUARQUE, foi questionado sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia.

O jovem americano introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um Humanista e não de um brasileiro.

Esta foi a resposta do Sr. Cristóvam Buarque:

"De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso.

"Como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, posso imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a humanidade.

"Se a Amazônia, sob uma ética humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro. O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço."

"Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser internacionalizado. Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país

Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação.

"Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França.

Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural Amazônico, seja manipulado e instruído pelo gosto de um proprietário ou de um país. Não faz muito, um milionário japonês, decidiu enterrar com ele, um quadro de um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado.

"Durante este encontro, as Nações Unidas estão realizando o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu acho que Nova York, como sede das Nações Unidas, deve ser internacionalizada. Pelo menos Manhattan deveria pertencer a toda a humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza específica, sua historia do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro.

"Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maiores do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil.

"Defendo a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do Mundo tenha possibilidade de COMER e de ir à escola. Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro.

"Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo. Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia seja nossa.

Só nossa!”

sábado, 27 de agosto de 2011

Blog Novo No Ar




Caros amigos e leitores que aqui visitam. Eis um blog novinho para vocês. Novas dicas de livros, novos conceitos e novas configurações. Porém, sem perder a qualidade das informações aqui passadas. Sempre com um único propósito: ajudar a todos nesta caminhada rumo ao Infinito.

Sempre é bom se reinventar. Sempre é aconselhável renovar as energias. Percebi que já era hora de fazer isto com este espaço sagrado, pois já fazia 4 anos que ele estava nas mesmas configurações... energia estagnada. Renovar, melhorar, despertar, hoje melhor que ontem e não tão bem quanto estarei amanhã.

Nos vemos por aqui, no nosso dia-a-dia, entre uma canalização e outra.

Abraços na Luz!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Estudos do Tarô - III - A Imperatriz


"Eu manifesto meus desejos... Sou o perfeito equilíbrio entre o planejamento (Mago) e a análise (Sacerdotisa)."

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Akron - Gays e Lésbicas Além da Morte




Título: Akron - Gays e Lésbicas Além da Morte
Autor: Gandra
Editora: Roka
Páginas: 131
ISBN: 8586309133

Akron é a comunidade terrena homossexual em campos sutis da Consciência Universal, e um espelho da Sabedoria Divina, como todas as comunidades humanas que existem em campos sutis da consciência.

Enfatiza e alimenta o "dom maior" que cada alma traz em si para doar pelo bem comum do planeta Terra e de todo o Cosmo. É um "berçário" de seres unificados em nível de polaridade: o andrógino divino. Essa é a razão mais forte de existir a consciência de Akron.

O Autor, Gandra é terapeuta holístico e hipnólogo. Criou e dirige o Espaço Religar-se. Desde criança está aberto à consciência dos campos de energias sutis, e tem acesso natural a realidades de outras dimensões do Universo.

Neste livro, o autor nos descreve através de Telonius o Anjo de Akron, e Tara, o Anjo da Paz, que "Akron" é uma comunidade homossexual que está no astral onde as almas dos Gays e Lésbicas são encaminhadas; por apresentarem um grande desgaste emocional são tratadas e recebem energias para equilibrar seu campo emocional. Na estadia de Akron, cada alma vivencia seu mais íntimo alento de expressão, em formas maleáveis que são moldadas por seus pensamentos, transformando-se até chegar a sua essência unificada e a conseqüente fusão com a Fonte.

Um livro de grande alento para os pais dos homossexuais, mostrando que após a morte seus filhos não estão desamparados, mas recebendo a cura e a paz para suas almas. É também um livro que alivia e muito a consciência dos Gays, pois demonstra que não existe diferenças no mundo espiritual, demonstra que todos são recebidos com o mesmo amor, independente da maneira como expressaram sua sexualidade e seu amor quando encarnados, ensinando-nos que o mais importante é a integridade de caráter, sendo sempre guiado com amor, amor acima de tudo.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Estudos do Tarô - II - A Sacerdotisa




"Eu reflito, eu analiso a vida..."

Pseudo-Obsessão



É a atuação do encarnado sobre o encarnado ou a obsessão recíproca. Todos nós conhecemos criaturas dominadoras, prepotentes e egoístas, que comandam toda uma família, obrigando todos a fazerem exclusivamente o que elas querem. Tão pertinaz (e ao mesmo tempo descabida) pode se tornar esta ação, que, sucedendo a morte do déspota, todas as vítimas de sua convivência às vezes chegam a respirar, aliviadas. No entanto, o processo obsessivo há de continuar, pois a perda do corpo físico não transforma o obsessor.

Este tipo de ação nefasta é mais comum entre encarnados, embora possa haver pseudo-obsessão entre desencarnados e encarnados. Trata-se de ação perturbadora em que o espírito agente não deseja deliberadamente, prejudicar o ser visado. É conseqüência da ação egoísta de uma criatura que faz de outra o objeto dos seus cuidados e a deseja ardentemente para si própria como propriedade sua. Exige que a outra obedeça cegamente às suas ordens desejando protegê-la, guiá-la e, com tais coerções, impede-a de se relacionar saudável e normalmente com seus semelhantes.

Acreditamos que o fenômeno não deve ser considerado obsessão propriamente dita. O agente não tem intuito de prejudicar o paciente. Acontece que, embora os motivos possam até ser nobres, a atuação resulta prejudicial; com o tempo, poderá transformar-se em verdadeira obsessão. A pseudo-obsessão é muito comum em pessoas de personalidade forte, egoístas, dominadoras, que muitas vezes, sujeitam a família à sua vontade tirânica. Ela aparece nas relações de casais, quando um dos cônjuges tenta exercer domínio absoluto sobre o outro. Caso clássico, por exemplo, é o do ciumento que cerceia de tal modo a liberdade do ser amado que, cego a tudo, termina por prejudicá-lo seriamente. Nesses casos, conforme a intensidade e continuidade do processo, pode se instalar a obsessão simples (obsessão de encarnado sobre encarnado).

O que dizer do filho mimado que chora, bate o pé, joga-se ao chão, até que consegue que o pai ou a mãe lhe dê o que quer ou lhe "sente a mão". Qualquer das duas reações faz com que o pequeno e "inocente" vampiro, absorva as energias do oponente. O que pensar do chefe déspota, no escritório? E dos desaforos: "eu faço a comida, mas eu cuspo dentro". E que tal a mulher dengosa que consegue tudo o que quer? Quais são os limites prováveis?

Enquanto o relacionamento entre encarnados aparenta ter momentos de trégua enquanto dormem, o elemento dominador pode desprender-se do corpo e sugar as energias vitais do corpo físico do outro. Após o desencarne, o elemento dominador poderá continuar a "proteger" as suas relações, a agravante agora é que o assédio torna-se maior ainda, pois o desencarnado não necessita cuidar das obrigações básicas que tem como encarnado, tais como: comer, dormir, trabalhar, etc.

O obsediado poderá reagir as ações do obsessor criando condições para a obsessão recíproca. Quando a vítima tem condições mentais, esboça defesa ativa: procura agredir o agressor na mesma proporção em que é agredida. Estabelece-se, assim, círculo vicioso de imantação por ódio mútuo, difícil de ser anulado. Em menor ou maior intensidade, essas agressões recíprocas aparecem em quase todos os tipos de obsessão; são eventuais (sem características que as tornem perenes), surgindo conforme circunstâncias e fases existenciais, podendo ser concomitantes a determinados acontecimentos. Apesar de apresentarem, às vezes, intensa imantação negativa, esses processos de mútua influência constituem obsessão simples, tendo um único obsessor.

Quando a obsessão recíproca acontece entre desencarnado e encarnado é porque o encarnado tem personalidade muito forte, grande força mental e muita coragem, pois enfrenta o espírito em condições de igualdade. No estado de vigília, a pessoa viva normalmente não sabe o drama que esta vivendo. É durante o sono – e desdobrada – que passa a ter condições de enfrentar e agredir o contendor.

Em conclusão a esses tipos de relacionamentos interpessoais, aparenta que o ser humano deixou de absorver as energias cósmicas ou divinas, por seu próprio erro, desligando-se do Divino e busca desde então, exercer o "poder" sobre o seu semelhante para assim, vampirizar e absorver as suas energias vitais.

De que maneira podemos nos "religar" e absorver as energias divinas, depois de tantas vidas procedendo erroneamente? Talvez a resposta esteja no "ORAI E VIGIAI", de maneira constante e persistente, sem descanso, sem tréguas, buscando o equilíbrio de ações, pensamentos e plena consciência dos seus atos, pois talvez ainda, o maior culpado deste errôneo proceder seja de quem se deixa dominar, vampirizar ou chantagear.

domingo, 21 de agosto de 2011

Estudos do Tarô - I - O Mago



"Eu inicio" - O início que será coroado de sucesso se houver bom planejamento.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Corpo de Luz Eletrônica



Gostaria que sentísseis e soubésseis, com toda clareza, que vosso ser reside no corpo de Deus Hélios e da Deusa Vesta, que criaram este Sistema Solar. Vosso corpo consiste de inúmeras partículas de Luz eletrônica; elas possuem inteligência e obedecem a todo ser autoconsciente que está em condições de dizer “EU SOU”.

Em dias ensolarados, muitos dentre vós já viram essas partículas na atmosfera. Todas consistem de Luz; são auto-conscientes, inteligentes e formam a essência da atmosfera – o ar que inalais. A toda hora, cada elétron está pronto para entrar em vosso mundo, a fim de tornar-se parte integrante da essência de que necessitais, pessoalmente ou de forma manifestada, ou talvez para o novo anelo de Saint Germain, isto é – a evolução do planeta.

A humanidade pode Ser comparada a um homem que se encontra em uma sala cuja atmosfera consiste de ouro puro. Entretanto, como ele não sabe fazer uso prático desse ouro, derrama lágrimas amargas sobre a sua limitação.

A criação da forma é a razão de a humanidade encanar-se neste planeta, é que vós e os Espíritos Protetores da Terra também responsáveis por sua evolução, deverão aprender novamente.

Portanto, para vós vem a ser, apenas, correto e justo – com o uso da poderosa e altíssima expressão “EU SOU”, - criar conscientemente belas formas, enquanto atraís, por meio de vosso pensamento e sentimento, a maravilhosa, inteligente e obediente Luz Eletrônica Universal, de modo que ela se torne uma expressão manifestada de vosso poder dominante.

A atividade de um Maha Chohan, em cada sistema planetário, consiste no recebimento, magnetização e distribuição da quantidade de Luz eletrônica, tanto quanto um planeta e a evolução de sua humanidade necessitam.

Hélios e Vesta derramam a Luz eletrônica, da qual procede toda vida, nela envolvendo todos os planetas de Seu Sistema Solar. Começam os Sóis a extrair do Sistema do Sol Central (Alfa e Ômega) mais e mais desse corpo de Luz, de maneira tão generosa e abrangente que o intelecto humano nem sequer imagina, muito menos reconhece...

O Maha Chohan de cada mundo (aqueles Seres que ocupam o cargo em cada um de Nossos sete planetas) magnetiza, por meio de Sua consciência e de Seu corpo (Eu faço isto para o planeta Terra), a quantidade de Luz que for necessária para os diversos reinos evolutivos como, por exemplo, o reino da natureza, dos seres elementais, dos seres humanos e dos espíritos protetores.

Não se apresentando ao grande depósito universal nenhuma procura da Luz eletrônica, então Nós, os Chohans, Nos permitimos tomar uma decisão sobre a transferência dessa energia a outro planeta onde existem seres que aproveitam, em grande escala, essa maravilhosa força para criarem a beleza e a perfeição.

Podeis visualizar a distribuição da Luz eletrônica do Coração dos Bem-Amados Hélios e Vesta como uma poderosa corrente de Luz, fluindo até as estrelas e planetas mais distantes. Após essa corrente de Luz ter alcançado cada esfera, o Maha Chohan de cada planeta dirige, em descenso, um poderoso caudal de Luz à Sua esfera, de modo que a transpassa e a envolve, totalmente. A Luz forma a vida e a matéria de cada expressão que lá, como vida, evolui. Cada Maha Chohan presta cuidadosa atenção para que haja suficiente alimento e vestuário para Seus povos e suprimento das demais necessidades do dia-a-dia. Também aprecia e considera a beleza e a perfeição apresentadas através de criações inteligentes das Emanações de Vida lá encarnadas, aquilo que elas desenvolvem em seu planeta para enriquecerem em beleza os seus concidadãos.

Meus amados discípulos, dessa gigantesca corrente de Luz que faço descer e irradiar sobre o planeta Terra, flui suficiente essência vital ao grande reino da natureza no sentido de abastecê-la e alcançar a máxima expressão de beleza das árvores, do relvado, das flores e dos frutos. O reino elemental aproveita a Luz para sustentar a energia vital na água e no ar. E a humanidade da Terra, para a qual foi designada a maior parte de toda a energia vital da Luz universal, agora, mais do que antes, ousa fazer seus pedidos, usufruindo essa energia para uma bênção pessoal, bem como para tudo o que está em sua redondeza – vida em evolução.

Tal como um engenheiro invisível observamos a quantidade da água ao passar por um canal, e damos levemente, uma após outra, as várias comportas, de acordo com a exigência da terra ressequida. Os que ocupam o cargo de Maha Chohan observam a quantidade aproveitada e concedem livremente, essa preciosa substância tanto quanto requer a vida em evolução neste Nosso globo. Porém, se os outros planetas a necessitam mais do que a Terra, nesta época atual, para que possam concluir a evolução de sua atividade criadora, então optamos por um equilíbrio justo, perfeito e impessoal, para que eles também recebam essa graça.

Portanto, não é nenhuma dádiva especial, para a evolução do reino terráqueo, o fato de aqueles planetas receberem menos quantidade de Luz que se irradia sobre o Nosso Sistema. Mas, para vosso consolo, posso dizer que possuo inteiro acesso à mesma, tanto quanto todos vós reunidos necessitais, e mais ainda. Isto ireis comprovar numa precipitação através do estímulo de vosso pensamento e sentimento que permita a vida e a forma. Então, essa vitória não mais será apenas um prazer para Nós, nem um direito somente Nosso, mas iremos reconhecê-la como Nossa responsabilidade e liberar mais e mais dessa preciosa Luz que apenas espera pela oportunidade de trazer à manifestação, para a glória de Deus Pai-Mãe, a benção à humanidade.

Queridos filhos da Luz, a quem tanto amamos, sabemos que vossos propósitos são sinceros e leais. Viveis dentro de um mundo repleto de vida inteligente e Luz universal. Quando atendeis às diversas atividades de vossos afazeres diários, constantemente vivenciais essa sensitiva, inteligente e informe essência vital e a inalais, Nós aceitamos a responsabilidade de extraí-la nessa grande doação da caudalosa energia cósmica do Coração dos Bem-Amados Hélios e Vesta. E ficamos na esperança de que vos decidais a aproveitar a oportunidade para, através de vosso pensamento e sentimento, realizar uma precipitação que poderá fazer-vos ágeis e atuantes, mais saudáveis, ricos e divinamente livres. No mundo manifestado, os homens usam essa força em seus pensamentos e sentimentos, aprisionando-a em formas destrutivas, para mostrar e afirmar que seu conhecimento sobre pensamento, sentimento, palavra e ação pode ser usado daquela maneira. Porém, agora, nos aproximamos de um novo dia – estamos ante o começo de uma Nova Era e na qual os homens irão clamar pela liberdade. Entretanto, Meus amados leitores, a liberdade somente surge através de um processo controlado, enquanto vos dirigis à Luz universal. Sabei que essa Luz universal, que é inteligente e vos responde, Nos foi confiada porque isso foi determinado pelos Bem-Amados Deuses Hélios e Vesta; é obediente a todas as vossas ordens e aguarda persistentemente o dia em que será usada, para que possais ampliar os limites de Seu reino aqui na Terra. Amai essa Luz Universal.

Diletos filhos da Luz, por meio de Nossa invocação pessoal, esforçamo-Nos em manter vossa atenção dirigida à Nossa Presença, para poder transmitir-vos a sensação de que toda energia que vossa mente externa possa desejar está presente em Nossa aura e, de acordo com vosso pedido, podereis recebê-la. Essa energia pode ser o elixir da juventude; pode, também, significar para vós uma importante energia vital de cura. Ela flui através de vossa coluna vertebral, e também, através de vosso sistema nervoso; ela penetra em todas as vossas células e em cada átomo de vosso ser. A força de que falamos pode condensar-se por meio do processo do pensamento e sentimento até tornar-se visível e palpável para vosso uso e manifestar tudo que desejais. Ela, que está ao vosso redor e ao vosso alcance, responde imediatamente à ordem de vossa Imorredoura Chama Trina, se, em vosso íntimo, afirmais positivamente – EU SOU EU SOU a Presença – e A reconheceis. Ela vos deu a vida e, com alegria, Ela será tudo para vós, se A necessitardes.

Com interesse, irei observar-vos e ver o que irei fazer com o poder que Eu vos leguei.

Maha Chohan - “Os Elétrons” – Ponte Para a Liberdade

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Invocação à Chama Violeta


Sagrada Chama Violeta

Irradiada do coração de Saint Germain

Entre dentro de minha alma

Entre dentro de meu Ser

Entre dentro de mim agora

E transmute tudo o que em mim houver

Sagrada Chama Violeta

Transmutai tudo o que houver

Para ser ajustado e realinhado

Com a Presença da Divina Chama Trina

De meu Ser

Venha Chama Violeta

Minha vida libertar

Saint Germain me abraça agora

Numa Chama que me faz Ascensionar

Num Castelo de Ametistas

De flores, ventos e alegrias

Entro para me deleitar

No Fogo Rubro da Liberdade

Que os Arcanjos fazem crepitar

Anjos da Chama Violeta

Purifiquem meu respirar

Libertem meu corpo, minha mente e sentimentos

Das ilusões que não vou mais precisar

Chama Violeta, Chama Violeta, Chama Violeta,

A Transmutar, Libertar, me Ascensionar

Do topo da Divindade até a base de meu altar

Deito na Câmara das Ametistas

E deixo a Chama Transmutar

Senhor da Chama!

Saint Germain, Mestre Amado

Cobre toda a Terra no Amor de Transmutar

É Vitoriosa a Chama Trina

Mais espaço tem para manifestar

Seu Amor, Sua Alegria, Sua Vida

Chama Violeta a Transmutar

Chama Violeta a Transmutar

Chama Violeta a Transmutar

15-08-2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Astrônomos Criam Imagem da Constelação Leão




NGC 3521 está a 'apenas' 35 milhões de anos-luz da Terra. Imagem foi feita por telescópio no Observatório Europeu do Sul.


Astrônomos do Observatório Europeu do Sul (ESO na sigla em inglês) divulgaram nesta quarta-feira (10) uma fotografia da galáxia NGC 3521, na constelação de Leão. A imagem mostra como ela é parecida com a nossa Via Láctea – as duas em formato de espiral.

De acordo com o ESO, as características mais marcantes da galáxia são seus “longos braços cheios de regiões de formação de estrelas”.

A galáxia está relativamente perto da nossa, a "apenas" 35 milhões de anos-luz, e pode ser visto com telescópios comuns.

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/08/astronomos-fazem-imagem-de-galaxia-na-constelacao-de-leao.html

Fonte:

Os Antigos Já Sabiam


O Texto abaixo só nos mostra que os antigos sempre souberam, mas, a Igreja fez "involuir" o conhecimento na época das trevas, na inquisição. Leiam o texto abaixo.


Cerca de 600 a. C., Thales, de Mileto (Ásia Menor), descobre a esfericidade da Terra, a obliqüidade da eclíptica e a causa dos eclipses.

Um século mais tarde, Pitágoras, de Samos, descobre o movimento diurno da Terra sobre o seu eixo, seu movimento anual ao redor do Sol, e liga os planetas e os cometas ao sistema solar.

160 anos antes de Jesus Cristo, Hiparco, de Alexandria (Egito), inventa o astrolábio, calcula e prediz os eclipses, observa as manchas solares, determina o ano trópico, a duração das revoluções da Lua.

Por preciosas que fossem essas descobertas para o progresso da ciência, necessitariam quase 2000 anos para se popularizarem. As idéias novas, não tendo, então, para se propagarem, senão raros manuscritos, permaneceram o quinhão de alguns filósofos, que as ensinavam aos seus discípulos privilegiados; as massas, que ninguém cuidava de esclarecer, delas nada aproveitaram, e continuaram a nutrir-se das velhas crenças.

Perto do ano 140, da era cristã, Ptolomeu, um dos homens mais ilustres da escola de Alexandria, combinando as suas próprias idéias com as crenças vulgares e algumas das mais recentes descobertas astronômicas, compõe um sistema que se pode chamar misto, que leva o seu nome, e que, durante quase quinze séculos, foi o único adotado no mundo civilizado.

Segundo o sistema de Ptolomeu, a Terra é uma esfera no centro do Universo; ela se compõe de quatro elementos: a terra, a água, o ar e o fogo. Era a primeira região, dita elementar. A segunda região, dita etérea, compreendia onze céus ou esferas concêntricas, girando ao redor da Terra, a saber: o céu da Lua, o de Mercúrio, de Vênus, do Sol, de Marte, de Júpiter, de Saturno, das estrelas fixas, do primeiro cristalino, esfera sólida transparente; do segundo cristalino, e, enfim, do primeiro móvel que dá o movimento a todos os céus inferiores, e os leva a fazerem uma revolução em vinte e quatro horas. Além dos onze céus, estava o Empíreo, morada dos felizes, assim chamada do grego “pyr” que significa fogo, porque se acreditava essa região resplandecente de luz como o fogo.

A crença em vários céus superpostos prevaleceu por longo tempo; mas variava-se sobre o número; o sétimo era, geralmente, considerado o mais elevado; daí, a expressão: Ser arrebatado ao sétimo céu. São Paulo disse que tinha sido elevado ao terceiro céu.

Independente do movimento comum, os astros tinham, segundo Ptolomeu, movimentos próprios, mais ou menos consideráveis, segundo a sua distância do centro. As estrelas fixas faziam uma revolução em 25.816 anos. Esta última avaliação denota o conhecimento da precisão dos equinócios, que se realiza, com efeito, em 25.860 anos.

No começo do décimo sexto século, Copérnico, célebre astrônomo, nascido em Thorn (Prússia), em 1472, morto na fogueira em 1543 pela Inquisição, repete as idéias de Pitágoras; publica um sistema que, confirmado, cada dia, pelas novas observações, foi favoravelmente acolhido, e não tardou em derrubar o de Ptolomeu. Segundo esse sistema, o Sol está no centro, os planetas descrevem órbitas circulares ao redor deste astro; a Lua é um satélite da Terra.

Um século mais tarde, em 1609, Galileu, nascido em Florença, inventa o telescópio; em 1610, descobre os quatro satélites de Júpiter e calcula as suas revoluções; reconhece que os planetas não tem luz própria, como as estrelas, mas são iluminadas pelo Sol; que eles são esferas semelhantes à Terra; observa as suas fases, determina a duração de sua rotação, sobre o seu eixo; dá, assim, com provas materiais, uma sanção definitiva ao sistema de Copérnico.

A Gênese – Allan Kardec – Capítulo V – Parágrafos 10 ao 12. – editora IDE.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Estamos Em Deus e Ele Está Em Nós



O fluído perispiritual não é inteligente, por si mesmo, uma vez que é matéria, mas é o veículo do pensamento, das sensações e das percepções do Espírito.

O fluído perispiritual, não é o pensamento do Espírito, mas o agente e intermediário desse pensamento; como é ele que o transmite, dele está, de certa forma, impregnado, e, na impossibilidade, que estamos, de isolá-lo, parece não formar senão um com o fluido, do mesmo modo que o som parece não formar senão um com o ar, de sorte que podemos, por assim dizer, materializá-lo. Do mesmo modo que dizemos que o ar se torna sonoro, poderíamos, tomando o efeito pela causa, dizer que o fluido se torna inteligente.

Que ocorra assim, ou não, com o pensamento de Deus, quer dizer, que ele atue diretamente ou por intermédio de um fluido, para facilidade de nossa inteligência, represente-mo-lo sob a forma concreta de um fluido inteligente, preenchendo o Universo infinito, penetrando todas as partes da criação: a Natureza inteira está mergulhada no fluido divino; ora, em virtude do princípio de que as partes de um todo são da mesma natureza, e têm as mesmas propriedades do todo, casa átomo desse fluido, se pode exprimir-se assim, possuindo o pensamento, quer dizer, os atributos essenciais da Divindade, e esse fluido por toda a parte, tudo está submetido à sua ação inteligente, à sua providência, à sua solicitude; não há um ser, por ínfimo que se suponha, que dele não esteja de algum modo saturado. Estamos, assim, constantemente em presença da Divindade; não há uma única das nossas ações, que possamos subtrair ao seu olhar; o nosso pensamento está em contato com o seu pensamento, e é com razão que se diz que Deus lê nas mais profundas dobras do nosso coração. Estamos nele, como ele está em nós, segundo a palavra do Cristo.

A Gênese – capítulo II-23 – Allan Kardec – IDE Editora

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Canalização Saint Germain - Julho



A história é um dos maiores contos de ficção de todos os tempos. Vocês ainda não estão prontos pro horário nobre. Uma das maiores ficções de todos os tempos, porque a história, bem, a história de vocês, de suas encarnações não existe realmente.

A igreja passou a ser o sustentáculo de toda a Europa na política, nas finanças, com certeza na arte – o que era uma vergonha, porque, como eu já disse, a arte salvará o mundo.

A estrutura real da economia mundial desmoronou há alguns anos. E o interessante é que ela continua existindo. Vocês ainda continuam existindo. Não é como na época da Depressão, quando tudo foi devastado. Isso é que é incrível. Desmoronou e aqui estamos nós. Porque a consciência escolhe seguir em frente. Ela não precisa da estrutura que havia antes. Não precisa de uma estrutura comunista, como algumas pessoas professam – uma estrutura comunista. Não precisa de um colapso total. Desestruturou-se, e está aqui! É uma boa analogia com vocês mesmos. Vocês se desestruturaram, e ainda estão aqui. Vocês se desestruturaram de todas as maneiras possíveis – mentalmente, fisicamente, espiritualmente –, mas ainda existe algo muito perseverante agora dentro de vocês, em seu relacionamento com sua alma, em seu desejo e sua paixão por viver, que simplesmente continua existindo. É incrível.

Bem, Atlântida sucumbiu, não importa o motivo – guerras, clima, destruição, asteróides, qualquer coisa. Ela sucumbiu. Não aconteceu de uma vez, mas foi doloroso. Foi muito, muito doloroso. A maioria de vocês superou essa dor, mas ainda há uma dor residual que vem daí, porque ela foi uma terra que, por muito tempo, vocês amaram sinceramente.

Atlântida era um lugar comunitário, o que significa que vocês viviam juntos. Não havia individualidade. Não havia exclusividade. Era “a grande”. Seus filhos cresciam em comunidade. Era como um grande kibutz (comunidade israelense). Ah, hum, não estamos mais sendo engraçados, não é? Mas isso foi engraçado. Uma grande comu... Uma grande comunidade.

Quando começou a desmoronar – por uma boa razão, começou a se deteriorar – os atlantes, os humanos que sobraram foram para o subterrâneo. Foram realmente. Pouquíssimos conseguiram sobreviver na superfície da Terra na altura. Era violento, com chamas, inundações e tempestades... mais ou menos como hoje. Era muito violento. Era difícil. As bestas, os animais ficaram ferozes. A essência, a estrutura energética que os humanos tinham com os animais se deteriorou. Os animais se viraram contra os humanos e vice-versa. Não foram tempos bonitos. A maioria dos que sobreviveram foram para o subterrâneo.

- A canalização completa você encontra em http://www.novasenergias.net/circulocarmesim/textos/Serie(SEGUINTE)12.html